quinta-feira, 5 de abril de 2012

A INCLUSÃO QUE SE FALA, A EXCLUSÃO QUE SE VÊ.


 +A +/- -A

Olá pessoal da paz, estamos aqui novamente para mais um tema importante.
Lembrando que aqui não colocamos verdades absolutas até porque isso não existe tão pouco trabalhamos com certo ou errado, procuramos sim colocar o nosso ponto de vista sobre os assuntos abordados procurando com isso gerar discussões, estudos, aprendizado e principalmente conhecimento.

O termo inclusão social, inclusão das pessoas com deficiência, políticas públicas para inclusão, acessibilidade e sensibilização com certeza tem sido uma das frases mais ouvidas ao longo dessas ultimas duas décadas, principalmente após a implantação da lei de cotas, lei que regulamenta a inclusão das pessoas com deficiência no mercado formal de trabalho.

Temos que reconhecer que á partir disso, a vida das pessoas com deficiência teve um grande ganho substancial no cenário nacional, porém ainda existe uma distância muito grande entre o que é falado e o que é visto, e o que realmente acontece na prática do dia a dia das pessoas com deficiência.

Eu trabalhei no: (Padef) programa de apoio a pessoa com deficiência, nossa tarefa era inserir as pessoas com deficiência no mercado formal de trabalho, uma ótima iniciativa do governo do estado de São Paulo por sinal.

A questão é que a grande maioria das empresas, não todas mais uma grande parte delas faziam e ainda fazem  o que chamamos na matéria de uma inclusão que exclui.

Faziam contratações quase que imediatas de pessoa com deficiência, desde que essas deficiências fossem de grau leve e de pouco impacto.

Cadeirantes, deficiente visual total, deficiente intelectual leve e deficiente auditivo não oralizado ficam para segundo e terceiro plano, pessoas com deficiência facial ou com deformidades impactantes raramente são contratadas.

A desculpa de sempre era e ainda é que a empresa não estava preparada estruturalmente para contratar esses excluídos, interessante é que entra ano sai ano e a desculpa é a mesma.

Na televisão no jornal e nos grandes meios de comunicação em massa você não vai encontrar essas matérias, mais na prática e no dia a dia do deficiente essas situações acontecem constantemente.

Então eu te pergunto que inclusão é essa?

Raramente você liga a televisão e encontra programas dirigidos ou com participações de pessoas com deficiências.

Programa de calouros com participação de deficientes você já assistiu?

Baladas inclusivas para deficientes você conhece?

Um reality show com deficientes, ou mesmo a participação de um deficiênte você já viu?

Essas são apenas algumas perguntas para você refletir, a falta de oportunidade de ser incluído dá espaço para exclusão, e o que me deixa triste mesmo é saber que existe e eu até conheço muitas pessoas com deficiência com talento e capacidade, porém estão entregues ao ostracismo de uma sociedade na sua grande maioria preconceituosa, que vende a imagem linda de uma inclusão perfeita e total, quando na prática o que se vê é uma exclusão verdadeira e infelizmente real.


Damião Marcos


Esse tema é interessante do ponto de vista que se trata de um assunto que acaba despertando novos temas dúvidas e questionamentos e na verdade é exatamente isso o que queremos aqui, portanto nos envie comentários sobre essa matéria, tragam dúvidas e sugestões. Esse nosso espaço é totalmente democrático e plural, portanto o aprendizado e o saber será sempre a nossa eterna busca.


Acesse o Artigo Original: http://www.inclusaodiferente.net/2012/02/inclusao-que-se-fala-e-exclusao-que-se.html#ixzz1rBtSUQga

Nenhum comentário: