sexta-feira, 27 de julho de 2012

TENHO QUE FALAR EM PÚBLICO. E AGORA?

FICA A DICA

O medo de falar em público é algo que assusta muitas pessoas, tanto que tem gente que faria praticamente o impossível para evitar passar por essa situação. Porém, não se pode fugir eternamente dos medos e receios, pois, para livrar-se deles é preciso enfrentá-los. E se você quer ir mais longe na sua carreira e ter uma função de gestão e liderança, terá de falar em público frequentemente para pequenos grupos ou grandes audiências. Mas tudo tem solução, portanto, não se apavore se você tem dificuldades em lidar com isso; essa é uma característica de cada um que precisa ser trabalhada e aprimorada com o tempo. Todo mundo é capaz de dominar o lado comunicativo que possui. E fique sabendo que o medo e o nervosismo de falar em público não são os principais erros cometidos em uma apresentação; o maior defeito é não saber ordenar o pensamento. A grande maioria das pessoas não sabe iniciar, desenvolver e concluir uma apresentação. Em determinadas situações entram diretamente no assunto central sem conquistar convenientemente a plateia, isto é, antes de conquistar a atenção, a torcida e a docilidade das pessoas. Em outros momentos esforçam-se para conquistar os ouvintes quando estes já estão devidamente preparados para ouvir, correndo o risco de desinteressá-los. Não se esqueça: comunicar-se bem é a chave para o sucesso.

 

Então prepare-se e relaxe, pois lidar com outras pessoas não é o fim do mundo, lhe garanto isso. Mas para amenizar a sua insegurança, lhe damos alguns conselhos para passar por essa situação sem constrangimento:

1) Evite misturar muitos assuntos: tenha em mente uma ideia principal a ser abordada e foque nisso. Não apresente o desnecessário, pois pode correr o risco de os assuntos competirem entre si e você acabar fugindo do que realmente interessa. Organize-se para falar apenas o que complementa a ideia principal; mas você também não pode se abastecer com conteúdo que atenda apenas ao tempo determinado para a apresentação, portanto, se a sua apresentação foi preparada para 15 minutos, saiba ter conteúdo a mais. Prepare-se para falar 30 minutos.

2) Seja natural: tenha seu estilo próprio de comunicar-se e o respeite. Não force ser alguém que você não é, e nem utilize palavras que não fazem parte do seu vocabulário. Cometer erros técnicos de forma natural é mais aceitável do que falar de forma complicada e forçada, errar é humano e se for naturalmente tenha certeza de que os ouvintes ainda poderão acreditar nas suas palavras e aceitar bem a mensagem.

3) Leve um roteiro como apoio: é, não confie 100% na sua memória, por mais forte que ela seja. Tem gente que costuma acreditar na decoreba, pois passou um bom tempo treinando, e na hora da apresentação não leva suas anotações tendo certeza de que está preparada e confiante, porém na hora H acaba prejudicando-se por não ter sido exatamente como imaginava e o temido branco ter dominado a mente. Se você esquecer de uma palavra importante na ligação de duas ideias, é bem provável que vá sentir-se desestabilizado e inseguro para continuar. Ainda há a chance de você não estar preparado psicologicamente para falar de improviso, visto que decorou exatamente toda a apresentação, e ao não encontrar a informação de que necessita, ficará sem saber como contornar o problema.

4) Controle o seu ritmo de fala: a velocidade em que transmitimos as nossas ideias não devem ser tão rápidas, pois poucas pessoas conseguirão acompanhar, e nem tão lentas a ponto de deixar o público impaciente. Portanto, tome cuidado com o ritmo que você está falando. 

5) Use o português correto: uma escorregadinha na gramática pode até não lhe trazer grandes problemas, mas um erro grosseiro pode acabar com a sua apresentação e com a sua moral também. Então lembre-se que termos como, "menas"; "estou meia cansada"; "seje diferente"; "adevogado"; entre outros; não existem!

6) Identifique os ouvintes: procure saber o nível intelectual daqueles que estão lhe escutando; até que ponto conhecem o assunto que será abordado; qual é a faixa etária do público; enfim, o importante é lembrar que cada plateia tem as suas próprias características e que essas devem ser levadas em consideração.

7) Tenha um enredo: o que eu quero dizer é para você não esquecer que toda apresentação deve ter um começo, meio e fim. É muito chato iniciar a apresentação indo diretamente ao assunto, sem dar a devida introdução; não focar no desenvolvimento e terminar do nada, sem um final decente. Portanto, cumprimente os ouvintes, anuncie o que vai falar; depois transmita a mensagem e desenvolva-a; e para concluir, despeça-se, agradeça e coloque-se à disposição para responder as dúvidas que surgirem.

8) Use recursos audiovisuais: é inadmissível não usufruir das tecnologias oferecidas nos dias de hoje. Há um estudo que comprova o seguinte fato: se apresentar a mensagem apenas verbalmente, depois de três dias os ouvintes vão se lembrar de 10% do que falou. Se, entretanto, expuser o assunto verbalmente, mas com auxílio de um recurso visual, depois do mesmo período, as pessoas se lembrarão de 65% do que foi transmitido. Mas tome cuidado com os excessos, não encha seu Power Point ou Prezi de ruídos irritantes e nem de Clips saltitantes. Seja discreto. Faça visuais com letras de um tamanho que todos possam ler. Projete apenas a essência da mensagem em poucas palavras. Apresente números em forma de gráficos e use cores contrastantes.

Não fuja das apresentações, saiba encará-las de frente, pois é praticando que se chega à perfeição. Portanto, não se cobre tanto no início, e lembre-se que mesmo os mais experientes sentem frio na barriga na hora de apresentar algo.

Por: Laura Marcon de Azevedo

Nenhum comentário: