domingo, 6 de julho de 2014

PE CONDUZ É INSTALADO EM ARCOVERDE E REALIZARÁ TRANSPORTE PARA DEFICIENTES

Objetivo é transportar pessoas que não podem se locomover.

Município do Sertão contará com um veículo, segundo assessoria.
Do G1 Caruaru


Veículo do Pernambuco Conduz (Foto: Divulgação/ Ascom Sead)Veículo conduzirá até três cadeirantes, informa
assessoria (Foto: Divulgação/ Ascom Sead)
O programa Pernambuco Conduz (PE Conduz) foi implantado nesta sexta-feira (4) em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. O serviço tem como objetivo transportar para as unidades de saúde os deficientes físicos que dependem de tratamentos periódicos. A iniciativa é da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, por meio da Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (Sead).
De acordo com a assessoria de imprensa da Sead, ainda não há prazo para os cadastros serem realizados. "Por enquanto, a prefeitura do município, juntamente com o estado, está realizando um mapeamento a fim de traçar as estatísticas da quantidade e características dos deficientes que poderão ser beneficiados. Todo o município, tanto a área rural quanto a urbana, estará dentro do território de atuação do programa", informa o departamento.
Ainda segundo a assessoria, o município contará com apenas um veículo nos primeiros dias de implantação do programa. Este transportará até três cadeirantes, e um acompanhante de cada. As cadeiras de rodas serão fixadas com travas especiais para garantir a segurança dos passageiros.
Com a implantação do Pernambuco Conduz em Arcoverde, o programa passa a atender 26 municípios em todo o estado. Para utilizar o serviço, interessados têm de se cadastrar pelo site do programa ou pelo telefone 0800-281-03-12. Cada pessoa pode agendar três dias por semana, desde que seja em hospitais e clínicas credenciadas. A rota dos veículos são definidas de acordo com a localização dos cadastrados.

PE Conduz
O Pernambuco Conduz foi instituído pela lei Nº 14.218, de 30 de novembro de 2010. Entre as prescrições estabelecidas para tornar-se usuário do benefício, está que o paciente não deve apresentar condições de mobilidade e de acessibilidade autônoma aos meios de transportes coletivos já existentes. A lei ainda estipula que o atendimento deve ser feito apenas a quem é de baixa renda e mora em local de difícil acesso e distante da instituição onde será feita a sua avaliação de saúde.

Nenhum comentário: