sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

ÍNDICES. valores do salário mínimo:Veja também:

Valor em vigor.

DATAS: ........ .................... ........ .VALORES:


01/01/43 ........ .................... ........ Cr$300,00
01/12/43 ........ .................... ........ Cr$380,00
01/01/52 ........ .................... ........ Cr$1.200,00
04/07/54 ........ .................... ........ Cr$2.400,00
01/08/56 ........ .................... ........ Cr$3.800,00
01/01/59 ........ .................... ........ Cr$6.000,00
18/10/60 ........ .................... ........ Cr$9.600,00
16/10/61 ........ .................... ........ Cr$13.440,00
01/01/63 ........ .................... ........ Cr$21.000,00
24/02/64 ........ .................... ........ Cr$42.000,00
01/02/65 ........ .................... ........ CR$66.000,00
01/03/66 ........ .................... ........ Cr$84.000,00
01/03/67 ........ .................... ........ NCr$105,00
26/03/68 ........ .................... ........ NCr$129,60
01/05/69 ........ .................... ........ NCr$156,00
01/05/70 ........ .................... ........ NCr$187.20
01/05/71 ........ .................... ........ Cr$225,60
01/05/72 ........ .................... ........ Cr$268,80
01/05/73 ........ .................... ........ Cr$312,00
01/05/74 ........ .................... ........ Cr$376,80
01/12/74 ........ .................... ........ Cr$415,20
01/05/75 ........ .................... ........ Cr$532,80
01/05/76 ........ .................... ........ Cr$768,00
01/05/77 ........ .................... ........ Cr$1.106,40
01/05/78 ........ .................... ........ Cr$1.560,00
01/05/79 ........ .................... ........ Cr$2.268,00
01/11/79 ........ .................... ........ Cr$2.932,80
01/05/80 ........ .................... ........ Cr$4.149,60
01/11/80 ........ .................... ........ Cr$5.788,80
01/05/81 ........ .................... ........ Cr$8.464,80
01/11/81 ........ .................... ........ Cr$11.928,00
01/05/82 ........ .................... ........ Cr$16.608,00
01/11/82 ........ .................... ........ Cr$23.568,00
01/05/83 ........ .................... ........ Cr$34.776,00
01/11/83 ........ .................... ........ Cr$57.120,00
01/05/84 ........ .................... ........ Cr$97.176,00
01/11/84 ........ .................... ........ Cr$166.560,00
01/05/85 ........ .................... ........ Cr$333.120,00
01/11/85 ........ .................... ........ Cr$600.000,00
01/03/86 ........ .................... ........ Cz$804,00
01/01/87 ........ .................... ........ Cz$964,80
01/03/87 ........ .................... ........ Czr1.368,00
01/05/87 ........ .................... ........ Cz$1.641,60
01/06/87 ........ .................... ........ Cz$1.969,92
10/08/87 ........ .................... ........ Cz$1.970,00
01/09/87 ........ .................... ........ Cz$2.400,00
01/10/87 ........ .................... ........ Cz$2.640,00
01/11/87 ........ .................... ........ Cz$3.000,00
01/12/87 ........ .................... ........ Cz$3.600,00
01/01/88 ........ .................... ........ Cz$4.500,00
01/02/88 ........ .................... ........ Cz$5.280,00
01/03/88 ........ .................... ........ Cz$6.240,00
01/04/88 ........ .................... ........ Cz$7.260,00
01/05/88 ........ .................... ........ Cz$8.712,00
01/06/88 ........ .................... ........ Cz$10.368,00
01/07/88 ........ .................... ........ Cz$12.444,00
01/08/88 ........ .................... ........ Cz$15.552,00
01/09/88 ........ .................... ........ Cz$18.960,00
01/10/88 ........ .................... ........ Cz$23.700,00
01/11/88 ........ .................... ........ Cz$30.800,00
01/12/88 ........ .................... ........ Cz$40.425,00
01/01/89 ........ .................... ........ NCz$63,90
01/05/89 ........ .................... ........ NCz$81,40
01/06/89 ........ .................... ........ NCz$120,00
03/07/89 ........ .................... ........ NCz$149,80
01/08/89 ........ .................... ........ NCz$192,88
01/09/89 ........ .................... ........ NCz$249,48
01/10/89 ........ .................... ........ NCz$381,73
01/11/89 ........ .................... ........ NCz$557,31
01/12/89 ........ .................... ........ NCz$788,12
01/01/90 ........ .................... ........ NCz$1.283,95
01/02/90 ........ .................... ........ NCz$2.004,37
01/03/90 ........ .................... ........ NCz$3.674,06
01/04/90 ........ .................... ........ Cr$3.674,06
01/05/90 ........ .................... ........ Cr$3.674,06
01/06/90 ........ .................... ........ Cr$3.857,66
01/07/90 ........ .................... ........ Cr$4.904,76
01/08/90 ........ .................... ........ Cr$5.203,46
01/09/90 ........ .................... ........ Cr$6.056,31
01/10/90 ........ .................... ........ Cr$6.425,14
01/11/90 ........ .................... ........ Cr$8.329,55
01/12/90 ........ .................... ........ Cr$8.836,82
01/01/91 ........ .................... ........ Cr$12.325,60
01/02/91 ........ .................... ........ Cr$15.895,46
01/03/91 ........ .................... ........ Cr$17.000,00
01/09/91 ........ .................... ........ Cr$42.000,00
01/01/92 ........ .................... ........ Cr$96.037,33
01/05/92 ........ .................... ........ Cr$230.000,00
01/09/92 ........ .................... ........ Cr$522.186,94
01/01/93 ........ .................... ........ Cr$1.250.700,00
01/03/93 ........ .................... ........ Cr$1.709.400,00
01/05/93 ........ .................... ........ Cr$3.303.300,00
01/07/93 ........ .................... ........ Cr$4.639.800,00
01/08/93 ........ .................... ........ CR$5.534,00
01/09/93 ........ .................... ........ CR$9.606,00
01/10/93 ........ .................... ........ CR$12.024,00
01/11/93 ........ .................... ........ CR$15.021,00
01/12/93 ........ .................... ........ CR$18.760,00
01/01/94 ........ .................... ........ CR$32.882,00
01/02/94 ........ .................... ........ CR$42.829,00
01/03/94 ........ .................... ........ URV 64,79 = R$64,79
01/07/94 ........ .................... ........ R$64,79
01/09/94 ........ .................... ........ R$70,00
01/05/95 ........ .................... ........ R$100,00
01/05/96 ........ .................... ........ R$112,00
01/05/97 ........ .................... ........ R$120,00
01/05/98 ........ .................... ........ R$130,00
01/05/99 ........ .................... ........ R$136,00
03/04/00 ........ .................... ........ R$151,00
01/04/01 ........ .................... ........ R$180,00
01/04/02 ........ .................... ........ R$ 200,00
01/04/03 ........ .................... ........ R$ 240,00
01/05/04 ........ .................... ........ R$ 260,00
01/05/05 ........ .................... ........ R$ 300,00
01/04/06 ........ .................... ........ R$ 350,00
01/04/07 ........ .................... ........ R$ 380,00
01/03/08 ........ .................... ........ R$ 415,00
01/02/09 ........ .................... ........ R$ 465,00

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

WebRádioMaranatha

WebRádioMaranatha

sábado, 24 de janeiro de 2009

TABIRA - PE


Tabira



Histórico

A atual cidade de Tabira surgiu de uma fazenda, de propriedade do fazendeiro Gonçalo Gomes, que, em 1865, resolveu instalar ali uma pequena feira-livre. A princípio, o local ficou conhecido como Toco do Gonçalo Gomes, porque no terreno onde fora instalada a feira existia um toco de madeira, para o corte da carne que ali era vendida.

O distrito, denominado Madeira e depois Espírito Santo, integrava o território do município de Afogados da Ingazeira e, a 31 de março de 1938, passou a denominar-se Tabira - em homenagem a tribo indígena que habitou a região. Tornou-se município autônomo a 27 de junho de 1943.

Dados gerais

Localização: Sertão, microrregião Alto Pajeú, distante 405 km do Recife.
Área: 330 km2
Solo: Argilo/pedregoso e rochoso
Relevo: Suave ondulado e ondulado
Vegetação: Caatinga hiperxerófila
Ocorrência mineral: Constituição pedregosa
Precipitação pluviométrica média anual: 720,3 milímetros
Meses chuvosos: Fevereiro - Março
População: 24.477 habitantes
Eleitorado: 18.775 eleitores (TRE 2006)
Dia de feira: Quarta-feira
Data de comemoração da emancipação política: 27 de junho
Prefeito: José Édson C. de Carvalho
Vice-Prefeito: Joel Mariano de França
Padroeira: Nossa Senhora dos Remédios


Bar da Pamonha, no distrito de Brejinho: comida de milho verde o ano todo


Tabira tem sítio arqueológico de grande valor histórico

Serviço

Prefeitura/endereço:
Rua Agustinho Pires, s/n - CEP: 56780-000
Tel: (87) 38471163 e (87) 3847-1156
pmt@arconet.com.br

Fórum/endereço:
R Cel. Zuza Barros, 2514 - Centro - Cep: 56.780-000
Tel: (87) 3847-1599 e (87) 3847.1601

Câmara Municipal
Rua José Justo dos Santos, 36 - CEP: 56.780-000
Tel: (87) 3847-1156

Vereadores (09):


Edmundo Dantez Cordeiro Barros

Genedy Siqueira Brito

Gilverlândio Ferreira Canjão

Jose Carlos Menezes

José Ubirajara Vieira Jucá Filho

Maria Do Carmo Gomes de Melo

Sebastiao Dias Filho

Sebastião Ribeiro Neto

Tadeu Sampaio Brito

Fonte: http://www.pe-az.com.br

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

TABIRA NECESSITA DE MAIS RAMPAS DE ACESSIBILIDADE E PINTURA DO SIMBOLO DE ACESSO NAS QUE JÁ TEM.



Tabira precisa de mais rampas de acessibilidade para Deficientes físicos, Idosos, gestantes, obesos etc. e urgentemente, pintura com o símbolo internacional de acesso nas que já tem.
Mas... O que é Mesmo Acessibilidade?
Acessibilidade é um termo abrangente; tem várias definições, uma das quais é "a acomodação das necessidades de cada um, num espaço para todos". Ou ainda: "Acessibilidade é o direito de usar todos os espaços e serviços que a cidade oferece, independente da capacidade de cada um".
Estas definições mostram que acessibilidade é um meio para se chegar à inclusão, assim conceituada:
"O paradigma da inclusão social consiste em tornarmos a sociedade toda um lugar viável para a convivência entre pessoas de todos os tipos e condições na realização de seus direitos, necessidades e potencialidades. Neste sentido, os adeptos e defensores da inclusão, chamados de inclusivistas, estão trabalhando para mudar a sociedade, a estrutura dos seus sistemas sociais comuns, as suas atitudes, os seus produtos e bens, as suas tecnologias etc. em todos os aspectos: educação, trabalho, saúde, lazer, mídia, cultura, esporte, transporte etc."
Neste marco conceitual, entendemos que rampas (o exemplo "clássico" de acessibilidade) só fazem sentido se servirem como pontes de conexão, entre o local onde estamos e onde queremos chegar. Usar uma rampa para desembocar numa sociedade onde não é possível - de fato - circular e participar com autonomia e dignidade não faz sentido. Uma sociedade acessível é a que respeita os direitos básicos do cidadão.
A favor da Acessibilidade
Condições adequadas de acessibilidade beneficiam a todos (idosos, cardíacos, obesos, gestantes, mães com carrinho de bebê, pessoas com dificuldades temporárias de locomoção, pessoas carregando pacotes) e não "apenas" pessoas com deficiência;
A população brasileira que tem algum tipo de incapacidade ou deficiência corresponde a 14,5% da população total (equivalente a 25 milhões de pessoas);
No Brasil, mais pessoas vivem por mais tempo. A idade traz limitações; é preciso garantir a qualidade de vida dessas pessoas, cuidando das condições de acessibilidade;
Acessibilidade, Ambiente e Funcionamento.
O ambiente pode piorar a forma de funcionamento de uma pessoa.
Exemplo: restaurante com pouco espaço entre mesas = garçons e clientes precisam ser “malabaristas”, podem acontecer cotoveladas; há pouca privacidade e alta probabilidade de acidentes.
PcD: sem condições adequadas, ficam em desvantagem e sua condição de funcionamento (surdez, cegueira ou outra) se agrava.
Embora os fatores ambientais não constituam barreiras para os que não têm deficiência, sua eliminação favorece a TODOS.
Quando o ambiente se torna acessível, pois adota os critérios e a filosofia do Desenho Universal, ele possibilita a Inclusão e, consequentemente, as pessoas com deficiência podem ter Vida Independente e exercer a Cidadania.
O que diz o Desenho Universal
Produtos, equipamentos, ambientes e meios de comunicação devem ser concebidos de modo que tudo deve ser utilizado por todos, o maior tempo possível, sem necessidade de adaptação, beneficiando pessoas de todas as idades e capacidades.
Pressupostos
1. Equiparação nas possibilidades de uso;
2. Flexibilidade no uso;
3. Uso simples e intuitivo;
4. Captação da informação;
5. Tolerância para o erro;
6. Dimensão e espaço para uso e interação.
As populações de pessoas com deficiência e idosos agradecem.

MUDANÇA DE ATITUDES E INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA (VEJA ABAIXO NA POESIA DO TRAJANO - PRESIDENTE.




MUDANÇA DE ATITUDES E INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA.

Francisco Nuncio Cerignoni

A vida de exclusão das pessoas com deficiência inicia-se, muitas vezes, dentro da própria família. Quando a família aceita com naturalidade a presença de uma pessoa com deficiência, essa pessoa também aceita e supera com naturalidade sua deficiência, quando não, gera abandono e isolamento no seio familiar, por um lado, ou a superproteção, por outro. A exclusão continua nas brincadeiras infantis, pelo preconceito existente na sociedade e expresso pelas crianças. Aprofunda-se na impossibilidade do acesso à escola ou no pouco tempo de permanência nos bancos escolares, que compromete a formação profissional, repercutindo na obtenção de trabalho e renda. Continua na idade adulta, com a impossibilidade de constituição e manutenção de uma família. E, termina com o abandono na idade avançada.
É um roteiro de exclusão.
Tendo em vista toda a análise da realidade da vida das pessoas com deficiência, motivada pelo Tema “Fraternidade e pessoas com deficiência”, iluminada pelo Evangelho e pelo compromisso cristão da Solidariedade, a Campanha da Fraternidade deste ano propõe algumas mudanças de atitudes.
Primeiro, entender a deficiência como uma diferença, assim como há pessoas gordas/magras, brancas/negras, calvas/cabeludas, etc; há pessoas com deficiência/sem deficiência; por isso a deficiência não deve ser entendida como doença, a deficiência não é contagiosa; nem entendida como fatalismo, “Deus quis assim!”; nem como maldição ou pecado da pessoa ou da família; nem entendida como incapacidade.
Depois, entender a deficiência como uma questão social, que envolve todos nós; não como uma questão individual, só da pessoa com deficiência. O que causa incapacidade é a não adequação dos ambientes e a adequação deles depende de cada um de nós, depende de todos. Olhar antes de tudo a PESSOA, filho/a de Deus, com dignidade de ser humano e direitos, com suas necessidades e potencialidades, e não a deficiência que ela possui.
Entender que a inclusão social das pessoas com deficiência é responsabilidade de todos; por isso é dever ético e moral promover a equiparação de oportunidades – isto é, adaptar os sistemas da sociedade – o meio físico, a comunicação, o transporte público, os locais de cultura e laser, os ambientes esportivos, etc. – para que sejam tornados disponíveis para todos; é dever também promover a acessibilidade – isto é, que todas as pessoas possam utilizar, com segurança e autonomia, de todos esses sistemas da sociedade.
A plena participação e cidadania das pessoas com deficiência é uma antiga reivindicação desse segmento e está expressa no lema adotado para o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, em 3 de dezembro de 2004 – “Nada sobre nós, sem nós”, isto é, em todos os assuntos que dizem respeito às pessoas com deficiência, queremos que nossas opiniões e necessidades sejam levadas em consideração.
Entender que os objetivos das Políticas Públicas para esse segmento da sociedade passa pela garantia dos direitos e pela inclusão social; passa também pela desconstrução da desqualificação e do preconceito, isto é, perceber que a pessoa com deficiência não é um ser inútil, mas um ser humano repleto de qualidades e talentos, que se manifestam não só na cultura e nas artes, mas também nas atividades produtivas e na vida diária; passa ainda por dar poder à pessoa com deficiência, isto é, possibilitar que as pessoas com deficiência possam decidir sobre a construção de sua própria história; e passa, finalmente, pelo rompimento do pressuposto da “normalidade”, isto é, não adotar um padrão único de solução para a infinidade de necessidades da população.
Por último, entender que a realização de Políticas Públicas de inclusão social deve priorizar: a) a participação das pessoas com deficiência, através da criação e fortalecimento de conselhos municipais e estaduais de Defesa de seus Direitos; b) as ações de prevenção das deficiências, através de campanhas permanentes; c) a educação inclusiva, preferencialmente nas escolas regulares, evitando a segregação, os medos, os complexos e os preconceitos; d) a acessibilidade, eliminando as barreiras arquitetônicas, adaptando o transporte coletivo e implementando um sistema de comunicação inclusiva para as pessoas cegas (sistema Braille) e para as pessoas surdas (Libras – língua brasileira de sinais) e outras; e) a promoção da dignidade com ações voltadas para a geração de emprego e renda.
Esse é um roteiro para inclusão Das pessoas com deficiência em nosso meio.

Baseado nesses preceitos, o poeta e presidente da ADET – Associação dos Deficientes de Tabira, Heleno Trajano disse:

“Levanta e vem para o meio”



I

Ao amigo e companheiro
Em todos dias de março
Quero deixar meu abraço
Como se fosse o primeiro
Faça da fé de escudeiro
Caminho pra quem não veio
Se puder sirva de esteio
Erga a cabeça o bastante
Pra contemplar o horizonte
Levanta e vem para o meio

II

Seja mais fraternidade
Seja luz, seja o caminho.
Ninguém é feliz sozinho
E só a solidariedade
É que produz equidade
E nos tira do enleio
Sirva de pombo correio
Leve essa idéia adiante
Desbrave um novo horizonte
Levanta e vem para o meio


III

Só ter direito não basta
Lute firme em cada dia
Por sua cidadania
Que faz a vida mais vasta
E cada vez nos afasta
Do mal que nos sobreveio
Basta disso, ponha um freio.
E diga bem confiante
Eu busco um novo horizonte
Levanto eu vou para o meio

IV

Da acessibilidade
Do seu irmão diferente
Você está consciente
Dê a ele a liberdade
De passear na cidade
Que sempre foi seu anseio
Pra que de alegria cheio
Possa de agora em diante
Cada vez mais confiante
Levantar-se e vir pro meio

V

Por nossa cidadania,
Você já tem compromisso
E se puder faça disso
Um momento de alegria
Para que a cada dia
Eu possa dizer que creio
E que o amor sobreveio
Em cada meu semelhante
E possa mais confiante
Levantar-me e vir pro meio.


Tabira, 25 de março de 2005.
Heleno Trajano (Cadeirante)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

MINIVATOR (ELEVADOR)



MINIVATOR

Baseado na tradicional linha americana de elevadores especiais, a IEE Engenharia e Indústria apresenta o revolucionário MINIVATOR®.
Compacto, fácil e rápido de instalar (em até 24 horas), o MINIVATOR® é um equipamento surpreendente por sua versatilidade, segurança e economia, não necessitando da construção de uma torre, poço ou instalação elétrica especial.
O MINIVATOR® é, sem dúvida, a melhor e mais moderna solução para o transporte entre dois andares.


Vendas para todo o Brasil. Financiamentos sob consulta!

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O GOVERNO DO NOVO TEMPO



Existem Hoje, 9 secretarias municipais em Tabira, sendo promessa de campanha a criação de mais uma secretaria. A nova pasta de Juventude e Meio Ambiente ficará à frente o ex-secretário de Agricultura Sandro Ferreira. O Projeto que cria Secretaria Municipal de Juventude e Meio Ambiente segue para apreciação e aprovação do Legislativo Municipal. Também será criado o Setor de Compras da Prefeitura Municipal, que terá como administrador Rui Acioly. “Nenhum secretário poderá compra nada, envia o pedido ao setor e este efetua a compra para a secretaria”, explicou o prefeito Dinca Brandino.

VEJA COMO FICOU O QUADRO DA PREFEITURA DE TABIRA:

Prefeito: Dinca Brandino
Vice: Joel Mariano

Chefe de Gabinete: Rizia
Assesor de Imprensa: Dedé Rodrigues
Sec. de Administração: Laudicéia Rocha
Sec. de Ação Social: Mª Claudenice (Nicinha)
Sec. de Educação: Gustavo Barros
Sec. de Agricultura: Beliato Cipriano
Sec. de Planejamento: Vicente (Jornalista)
Tesoureiro: Rui Acioly
Sec. de Finanças: Cândido (Ex-funcionário do BANDEPE)
Sec. de Saúde: Dr. Ubirajara Jucá
Sec. de Obras: André (Engenheiro do IPA)
Sec. de Cultura: Gracinha Paulino
Procurador Jurídico: Dr. César
Dir. de Transportes: Neurandir Marques
Dir. de Esportes: Pedro Ionei

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

A DIFERENÇA PODE MUDAR O MUNDO, FAÇA A DIFERENÇA. " A MAIOR DEFICIÊNCIA DO SER HUMANO É A FALTA DE COMPREENSÃO"



A diferença pode mudar o mundo faça a diferença.
"A maior deficiência do ser humano é a falta de compreeensão"

Introdução:

Nosso projeto tem o intuito de conscientizar a sociedade sobre as causas das deficiências, incluí-los de forma qualitativa em nosso meio e os seus direitos de cidadãos. Procuramos enfatizar os principais problemas que a pessoas deficientes enfrentam no seu dia-a-dia e sugerir algumas soluções para esses problemas.

Objetivos gerais:
“Conhecer as causas das deficiências existentes e suas prevenções.”
"Entender os direitos dos portadores de deficiência, informá - los e incluí – los à sociedade".

Objetivo específico (causas):
“Adaptar escolas e transporte público para essas pessoas”

Pessoas deficientes físicas enfrentam diversas dificuldades. Entre elas estão os problemas com o transporte público e com a aprendizagem.
Deficientes visuais não conseguem ver os itinerários de ônibus ou metropolitanos. Na maioria dos ônibus não há um espaço reservado para cadeirantes. Em grande parte das escolas não há professores qualificados para ensinar pessoas com deficiências auditiva, mental e visual. E aqui no DF há pouquíssimas escolas capacitadas para esses alunos, logo irão depender do transporte público para locomoção.
Para a solução destes problemas sugerimos as seguintes opções:

Transporte público:
• Espaços reservados para pessoas com deficiência física (cadeirantes) em todos os ônibus;
• Instalar auto-falantes em todos os meios de transporte para avisar as pessoas como deficiência visual.

Escolas:
§ Aumentar o número de escolas;
§ Contratar professores qualificados para ensiná-los;
§ Estruturar a escola de modo que facilite a vida dos alunos.

Objetivo específico (direitos):
"A falta de infra-estrutura que os deficientes enfrentam no seu dia-a-dia em locais públicos, meios de transporte, escolas".
Foi necessário um estudo específico, com os direitos dos portadores de deficiência para estarmos mais preparados para podermos ajudá-los quando necessário, e também mostrar a sociedade como não existem diferenças e tentar acabar com o preconceito existente nelas.
Existem várias formas de inclusão a essas pessoas deficientes, mas são falhas e nem sempre certas, também não há pessoas preparadas para lidar com qualquer que seja a necessidade deles. Seria muito interessante uma maior comunicação entre o portador da deficiência e as pessoas para que possa, se ter mais conhecimento sobre suas dificuldades e sanar esse grande problema.
Os portadores de deficiência enfrentam vários obstáculos e humilhações no seu dia-a-dia, porque com a falta de infra-estrutura eles precisam ficar se humilhando para outras pessoas, para que elas possam ajudá-los.Por exemplo, eles não conseguem entrar em um ônibus, pois a maioria dos transportes não são habilitados a eles; a maioria deles tem que entrar em escolas especiais porque não são aceitos ou não tem professores habilitados; eles tem que receber alguns benefícios do governo ou serem aposentados porque a sociedade, não acredita que eles podem ser capazes de se sustentarem.Nem todos os lugares que vão tem banheiros habilitados a eles, passando assim, necessidades.Às vezes, ao construir uma calçada, a pessoa deixa um degrau, sem imaginar que aquilo vai dificultar a vida de um cadeirante.Uma solução para esse problema seria, passarmos a pensar em um conjunto de pessoas ao construir qualquer tipo de coisa, incluindo todas aquelas que tem algum tipo de deficiência.A adequação de supermercados, bancos, prédios públicos, terminal de ônibus entre outros.Seria interessante também que os carros habilitados para deficientes se tornem mais acessíveis(baratos) a eles.Todos os professores deveram ser preparados para ter alunos portadores de qualquer deficiência em sua sala de aula.E finalmente pararmos de considerar o deficiente como "um coitado" e, quando ele trabalha, como um "super-herói"; e sim, tratá-lo como uma pessoa capaz de qualquer coisa.
Anexos:

Como ajudar as pessoas com deficiência visual:
Ao ver uma pessoa com esta, se aproxime a pergunte se ela precisa de ajuda. No caso de uma resposta positiva, não segure o braço dela, e sim dê o seu. Pergunte pra onde ela deseja ir. E depois siga com ela. Não se preocupe, pois essas pessoas estão sempre de bom humor. Não tenha medo.
Conclusão:
Esse trabalho foi de suma importância para todos os participantes. Aprendemos sobre as principais causas das deficiências, como as pessoas deficientes interagem com o restante da sociedade, quais são os seus direitos.

Aqui em Tabira a ADET- Associação dos Deficientes de Tabira, com certeza está fazendo a diferença.

Fonte: vhcemabao.blogspot.com

sábado, 3 de janeiro de 2009

PRESTAÇÃO DE CONTAS DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA ADET - ASSOCIAÇÃO DOS DEFICIENTES DE TABIRA NO ANO 2008.



















ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA
PRESTAÇÃO DE CONTAS DAS ATIVIDADES
DESENVOLVIDAS PELA ADET NO ANO 2008.

REAVEMOS TODAS AS PARCERIAS PERDIDAS.

EMPRESTIMOS DE EQUIPAMENTOS:

60 - CADEIRA DE RODAS E HIGIENICAS,

25 - PARES DE MULETAS,

24 - CESTA BASICAS (REPASSADAS),

1.500 - FRALDAS DESCARTÁVEIS,

80 - FAXINAS VOLUNTÁRIAS DA SEDE

50 - VIAGENS COM O CARRO ADET/LAR DO IDOSO

18 - RECEBEMOS DOAÇÃO DE CADEIRA/SALA DE AÇO

50% POR CENTO DO CARRO

_________________________________________________________


NA ATUAL GESTÃO EM APENAS OITO
MESES ADQUIRIMOS PARA A ENTIDADE:

EM REAIS: R$:

32 - CADEIRAS DE RODAS: 9.600,00

16 - PARES DE MULETAS: 900,00

24 - CESTA BASICAS (REPASSADAS): 1.080,00

18 - DOAÇÃO CADEIRAS / SALA DE AÇO: 580,00

50% POR CENTO DO CARRO 3.500,00

600 - UNID. FRALDAS UNIDADES 420,00

80 - FAXINAS VOLUNTÁRIAS 800,00

TOTAL EM REAIS R$: 17.500,00

_________________________________________________________


OFICIOS ENVIADOS 60

OFICIOS RECEBIDOS 40

PROGRAMAS DE RÁDIO: REALIZADOS 48

VISITAS DOMICILIARES A PORTADORES DE DEFICIENCIA 15

REUNIÕES MENSAIS DE DIRETORIA 12

REUNIÕES EXTRAORDINÁRIAS 05

VIAGENS COM O CARRO DA ADET/LAR DO IDOSO (A SERVIÇO) DAS 50

REALIZAMOS A ELEIÇÃO PARA RENOVAÇÃO DA DIRETORIA -

REALIZAMOS A SOLENIDADE DE POSSE DA NOVA DIRETORIA -

PARTICIPAMOS DA 8ª MESA DE GLOSAS DO PAJEÚ -

IMORTALIZAMOS A HISTÓRIA DA ADET EM VERSO E POESIA NA 1ª
ANTOLOGIA DE TABIRA. -

PARTICIPAMOS DA CONFERENCIA REGIONAL DA PESSOA COM -
DEFICIENCIA NA CIDADE DE SERTANIA - PE

REALIZAMOS A SEMANA ESTADUAL/MUNICIPAL DA PESSOA -
COM DEFICIÊNCIA COM A PRESENÇA DO SUPERINTENDENTE
DA SEAD, JOÃO ROCHA E EQUIPE.

CONSEGUIMOS TRAZER A EQUIPE DA SEAD TRES VEZES PARA -
TABIRA, NUM PERIODO DE APENAS TRES MESES, PARA PALESTRA.
COM TODOS OS PROFESSORES DO MUNICIPIO.

ENCAMINHAMOS OFICIOS E FOMOS ATENDIDOS COM A CRIAÇÃO DO -
CONSELHO MUNICIPAL DE DEFESA DOS DIREITOS DA PESSOA COM
DEFICIENCIA.

ENCAMINHAMOS OFICIOS E FOMOS ATENDIDOS COM A CRIAÇÃO -
DA SEMANA MUNICIPAL DA PESSOA COM DEFICIENCIA QUE SERÁ
REALIZADA DE 11 A 18 DE ABRIL DE CADA ANO.

FIZEMOS UMA VISITA INTERESTADUAL A UMA ASSOCIAÇÃO DE PESSOAS -
COM DEFICIENCIA (ADAB) NA CIDADE DE ÁGUA BRANCA – PB.

CADASTRAMOS 35 ASSOCIADOS CONTRIBUINTES -

CADASTRAMOS 30 ASSOCIADOS PADRINHOS/MADRINHAS -

LANÇAMOS A CAMPANHA BENEFICENTE: DOE AÇÃO DE CORAÇÃO EM -
PARCERIA COM O LAR DO IDOSO, CDL e AMIGOS, PARA A
COMPRA DE UM CARRO.

LANÇAMOS RECENTIMENTE A CAMPANHA ADOTE A ADET, COM A FI- -
NALIDADE DE ESACLARECER NOSSAS ATIVIDADES E ADQUIRIR
MAIS SÓCIOS PADRINHOS.

REBCEBEMOS DOAÇÃO DE PENAS ALTERNATIVAS EM PRODUTOS DE -
LIMPEZA, QUE DÁ PARA FAZER A LIMPEZA DA SEDE POR UM ANO.

PARTICIPAMOS DA SEMANA MUNICIPAL DE CIENCIA E
TECNOLOGIA COM O TEMA: EVOLUÇÃO E DIVERSIDADE.

FOMOS CONVIDADOS E ACEITAMOS PARTICIPAR DO CONSELHO
MUNICIPAL DO IDOSO.

BIBLIOTECA ADET – FOTOGRAFO ZÉ BELO: EMPRESTAMOS CERCA
DE 100 LIVROS, RECEBEMOS 12 VISITAS DE GRUPO DE
PARA FAZER TRABALHOS ESCOLARES.

PARTICIPAMOS DA FEIRA DE CIENCIA DA ESCOLA PROFESSORA
CARLOTA BRECKENFELD. (COM STAND DE EQUIPAMENTOS)

PARTICIPAMOS DA FEIRA DE CIENCIA DA ESCOLA – ESMAR – COM
(STAND DE EQUIPAMENTOS.)

PARTICIPAMOS DE 12 REUNIÕES DO CONSELHO MUNICIPAL DE
SAUDE.

PARTICIPAMOS ATRAVÉS DO C.M.S – DA SELEÇÃO DO AGENTES
COMUNITÁRIOS DE SAUDE.

A ADET SE FEZ REPRESENTAR COM O SEU STAND, NA FEIRA DE
CIÊNCIA DA ESCOLA – ESMAR.

A ADET SE FEZ REPRESENTAR NA INAUGURAÇÃO DA SEDE DA UEST
UNIÃO DOS ESTAUDANTES SECUNDARISTAS DE TABIRA

A ADET SE FEZ REPRESENTAR NO FAIPP DA ESCOLA PEDRO PIRES
FERREIRA.

NO DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIENCIA, A ADET
FEZ UMA IMPORTANTE VISITA A ASSEDEF – ASSOCIAÇÃO SERRATA-
LAHADENSE DE DEFICIENTES FÍSICOS.

CONFECCIONAMOS CAMISETAS PARA A DIRETORIA.

RECEBEMOS DOAÇÃO E REPASSAMOS 500 KG DE POUPA DE FRUTAS
PARA OS ASSOCIADOS E IDOSOS.

DENTRE OUTRAS ATIVIDADES.

Heleno Trajano (Presidente)

TADEU SAMPAIO, PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL DA ADET É ELEITO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE TABIRA

MOÇÃO DE APLAUSO DA DIRETORIA DA ADET – ASSOCIAÇÃO
DOS DEFICIENTES DE TABIRA AO PRESIDENTE DO CONSELHO
FISCAL DESTA ENTIDADE SR. TADEU SAMPAIO, QUE RECENTIMENTE FOI ELEITO PRESIDENTE DA CAMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE TABIRA DE TABIRA.

Senhor Presidente,

A ADET – Associação dos Deficientes de Tabira, através do seu Presidente Sr. Heleno Trajano e demais Diretores vem neste dia com muita alegria, parabenizar V. Excia. Pelo êxito nas Eleições 2008, como Vereador e agora Presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Tabira para o Biênio 2009/2010.

Tal homenagem Senhor Presidente, é por demais merecida, pois somos testemunha da sua incansável luta em defesa dos direitos dos mais oprimidos e carentes, especialmente das pessoas com deficiência do nosso Município, tendo sua vida pautada na moral e ética e com brilhantismo tem tão bem representado nossa classe e entidade de classe, da Qual é Sócio Fundador e Diretor por três mandatos consecutivos.

A vida nos ensina que as Sementes produzem Frutos (resultados), E uma delas chama-se Atitude – Nossos projetos de vida podem ser inúmeros, mas, todos estão ligados ao processo da semeadura. Se quisermos colher algo, deve-se primeiro, semear a semente daquilo que queremos colher e V. Excia. Permita me dizer, fez isso muito bem, prova disso é que está colhendo os bons frutos desta semeadura.

Presidente Tadeu Sampaio, Você é um exemplo de dedicação ás causas sociais, e quero aqui destacar apenas as que são da minha área (Inclusão social) como: Projetos de Criação do (a):

 Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Com Deficiência.
 Semana Municipal da Pessoa Com Deficiência
 Reconhecimento Municipal de Entidade Filantrópica, concedido a ADET.
Entre outros.

Agora Senhor Presidente, só nos resta desejar a Você e todos que fazem a Casa Eduardo Domingos de Lima, UM FELIZ 2009! Cheio de muita saúde e Paz e aprovação de Projetos Sociais.

Boa Sorte, com um abraço da Família ADET.

Tabira – PE, 02 de Janeiro de 2009


Heleno Trajano Pereira
Presidente da ADET