quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

MARA GABRILLI CHEGA A BRASILIA PARA MELHORAR, AINDA MAIS, A VIDA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.

Fonte : foconapolitica@revistafoco

Superação. Essa é a marca da trajetória de Mara Gabrilli, recém-eleita deputada Federal pelo PSDB/SP.

Com 43 anos, Mara é psicóloga e publicitária, mas seu reconhecimento em todo o país se deu pelo trabalho que realiza para melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência, causa que também é dela:

Mara será a primeira deputada Federal tetraplégica.

Em 1994, aos 26 anos, Mara sofreu um acidente que a deixou paralisada do pescoço para baixo. Após longo período em recuperação, incluindo seis meses respirando com a ajuda de aparelhos, ela percebeu que o fato de não andar mais não pesou tanto.

“Deixar de respirar pelos aparelhos me fez sentir livre”, afirma.

No entanto, ao retomar sua vida cotidiana, começou a sentir na pele o que era ser brasileiro com deficiência:
“faltava informação, faltava acesso, faltava muita coisa”, conta.

De lá para cá, Mara percebeu que tinha muito trabalho a fazer e decidiu começar a agir.

Fundou, em 1997, a ONG Projeto Próximo Passo (PPP), para promover pesquisas para cura de paralisias e apoiar atletas com deficiência. Uma década depois, a Organização se expandiu, tornando-se o Instituto Mara Gabrilli, e expandindo também o escopo de seu trabalho, com a implantação de projetos culturais e a disseminação do Desenho Universal.

Recentemente, a ONG lançou mais uma iniciativa, o Cadê Você, projeto que localiza e identifica pessoas com deficiência residentes nas comunidades mais carentes do Município de São Paulo, avaliando suas condições de vida por meio de visitas a domicílio.

A ideia é criar uma rede de proteção, levando informações sobre os serviços públicos existentes na cidade.

Ainda assim, atuando no terceiro setor, Mara encontrava muitas limitações impostas pelo poder público e percebeu que as transformações precisavam ser maiores.

“Senti que era preciso mudar a cidade e seus habitantes, instituindo políticas públicas para quem tem uma deficiência ou mobilidade reduzida”, diz.

E foi com esta vontade de transformar que a tucana surgiu no cenário político, como candidata a vereadora de São Paulo, pela primeira vez, em 2004. Recebeu quase 12 mil votos, que lhe garantiram a suplência da Câmara Municipal e despertaram a atenção dos políticos do partido.

Não contente, elaborou um projeto para a criação de uma Secretaria que trabalhasse em prol da pessoa com deficiência e em 2005, a convite do então prefeito José Serra, assumiu a inédita Secretaria da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, o primeiro órgão executivo do País criado especialmente com esta
missão.

Em fevereiro de 2007 Mara assumiu uma cadeira na Câmara Municipal e foi reeleita vereadora em 2008 com 79.912 votos, sendo a mulher mais votada no Brasil.

Nos quatro anos como vereadora, elaborou e aprovou leis que ajudaram a modificar o cenário da pessoa com deficiência em São Paulo.

Mara tornou lei o núcleo municipal de reabilitação, aumentando esses serviços especialmente na área de saúde, com a expansão dos Núcleos Integrados de Reabilitação (NIR) e dos Núcleos Integrados de Saúde Auditiva (NISA).

Mais calçadas acessíveis foram feitas por meio do Plano Emergencial de Calçadas, lei de sua autoria.

Criou uma Central de Intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais), proporcionando que pessoas com deficiência auditiva pudessem ser atendidas nas 31 subprefeituras da Cidade.

Em sua trajetória como legisladora também figura o Censo Inclusão, um mapeamento e cadastramento das pessoas com deficiência em todo o município com o objetivo de direcionar da melhor maneira as políticas públicas para a população com deficiência.

Mais do que isso, Mara afirma que “a Cidade começou a olhar com outros olhos para as pessoas com deficiência”.

Com a experiência acumulada de ajudar a melhorar a vida das pessoas com deficiência na cidade de São Paulo, Mara decidiu expandir esse trabalho para todo o País e candidatou-se a deputada Federal, sendo eleita com 160.138 votos.

Ela afirma querer transformar ainda mais, discutindo questões como inclusão, acessibilidade e pesquisas científicas em âmbito nacional: “como vereadora esbarrava diariamente em questões de legislação nacional.

"São 30 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência e é preciso aumentar a cnscientização das pessoas e realizar efetivas transformações, através de um trabalho específico nessa legislação”.

Antes mesmo de tomar posse na Câmara Federal, ela já encontra desafios, pois as instalações não são acessíveis para cadeirantes.

“Como posso exigir melhorias para as pessoas com deficiência se nem a Casa do Povo é acessível?”, questiona. “Isso tem que mudar, o preconceito tem que acabar, a começar pelo próprio Poder Público”.

Mara Gabrilli é colunista das revistas TPM (Trip Editora) e Sentidos (Escala), e do Portal Vida Mais Livre. Publicou o livro Íntima Desordem – os melhores textos na TPM (Arx / Versar) e foi consultora do livro Vai encarar? - A Nação (quase) invisível das pessoas com deficiência (Claudia Matarazzo, Melhoramentos).

Comanda o programa de rádio Derrubando Barreiras: acesso para todos, na Eldorado AM, e o Momento Terceiro Setor, na rádio Trianon AM. Em reconhecimento a sua atuação, foi eleita Paulistana do Ano (2007) pela revista Veja São Paulo, fgurou entre os Cem Brasileiros Mais Influentes (2008) das revistas
Isto É e Época, e foi finalista do Prêmio Claudia 2008 na categoria Políticas Públicas.

Nenhum comentário: