segunda-feira, 27 de junho de 2011

Como montar um Projeto Social

Por melhores que sejam as intenções de uma organização não governamental, suas idéias devem ser expostas em forma de projetos para que possam estar documentadas e estruturadas de forma a alcançar os resultados desejados com qualidade e eficiência, possibilitando a gestão das ações e dos recursos.


Projeto é algo que tem início e fim, que necessita de recursos específicos para o alcance de resultados específicos. No caso de projetos sociais, nascem para dar respostas aos problemas, são responsáveis por alterar a realidade da organização, estruturando-a e promovendo seu desenvolvimento. Eles também são utilizados para captação de recursos, pois, assim, os financiadores podem visualizar melhor as intenções da ONG, saber no que os recursos serão aplicados, que tipo de atividades serão realizadas e qual impacto elas surtirão dentro da comunidade-alvo.
Antes de iniciar o projeto, além da existência de um planejamento estratégicoe/ou plano de captação, a organização deve ter claramente definida as necessidades e demandas que o projeto irá atender, quais os atores envolvidos (executores e beneficiados), os recursos necessários, a sua viabilidade (social e econômica) e objetivos que se deseja alcançar.A estrutura básica de um projeto é formada por:
  • Apresentação da organização: dados e histórico da entidade proponente, descrição dos projetos já realizados e/ou em andamento, lista de parceiros e apoiadores.
  • Resumo: feito depois do projeto finalizado. Deve conter as principais idéias.
  • Contextualização: análise da situação, histórico e situação sócio-econômica da comunidade-alvo. Utilização de dados estatísticos ou referenciais.
  • Justificativa: o porquê de o projeto existir e deve ser aprovado, o nível de importância do projeto.
  • Objetivos: geral e específicos; que estão ligados à justificativa e aos resultados desejados.
  • Descrição do Público-alvo: caracterização de quem será atendido pelo projeto direta e indiretamente. Quantidade direta e indireta de beneficiários.
  • Quadro de Metas: relacionadas aos objetivos específicos, são as ações e os resultados que definirão o impacto do projeto. Devem ser acompanhadas dos indicadores quantitativos e qualitativos.
  • Metodologia: como o projeto será executado, quais modelos ou tecnologias sociais serão utilizados. Como será monitorado e avaliado.
  • Equipe Executora: (quem) a equipe profissional responsável pela execução e acompanhamento do projeto e como essa equipe irá trabalhar.
  • Parceiros: quem apoiará o projeto ou apóia a instituição.
  • Cronograma de execução: ações dispostas em prazos.
  • Orçamento: deve ser objetivo e claro, de acordo à disponibilidade do financiador.
  • Anexos: relatórios, cartas de apoio, currículo dos profissionais e o que a organização achar necessário para reforçar o projeto.
Com essas informações estruturadas, o projeto está pronto para buscar parcerias, apoiadores, voluntários, recursos e ser iniciado com grandes chances de sucesso.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

RELATÓRIO SOBRE DEFICIÊNCIA 2011 DA OMS.


Novo relatório mundial mostra que mais de 1 bilhão de pessoas com deficiência enfrentam barreiras significativas em suas vidas. Os governos devem intensificar os esforços para permitir o acesso aos serviços de base e investir em programas especializados para desobstruir o vasto potencial das pessoas com deficiência
9 de junho, 2011 | Nova Iorque - O primeiro "Relatório Mundial sobre a deficiência" fornece as primeiras estimativas globais das pessoas com deficiência em 40 anos e uma visão geral do estado da deficiência no mundo. Nova pesquisa mostra que quase um quinto do total da população global é de pessoas vivendo com deficiência ou dificuldades significativas.

O relatório sublinha que poucos países dispõem de mecanismos adequados para dar resposta às necessidades das pessoas com deficiência. As barreiras incluem o preconceito e a discriminação, a falta de cuidados de saúde adequados, serviços de reabilitação e de transporte acessíveis, edifícios e tecnologias de informação e comunicação. Como resultado, as pessoas com deficiência dispõem de uma saúde mais precária, menor aproveitamento escolar, poucas oportunidades econômicas e elevadas taxas de pobreza do que as pessoas sem deficiência.

"A deficiência é parte da condição humana", diz a diretora-geral Margaret Chan. "Quase cada um de nós vai ser permanente ou temporariamente deficiente, em algum momento da vida. Precisamos fazer mais para quebrar as barreiras que segregam as pessoas com deficiência, em muitos casos, forçando-os à margem da sociedade."

"Enfrentar e buscar soluções para a saúde, educação, emprego e o desenvolvimento de outras necessidades das pessoas com deficiência é fundamental para a realização de Desenvolvimento do Milénio", disse Robert B. Zoellick, presidente do Grupo do Banco Mundial. "Precisamos ajudar as pessoas com deficiência a terem acesso equitativo às oportunidades de participar e contribuir com suas comunidades. Eles têm muito a oferecer se for dada uma chance justa de fazê-lo. "

Principais conclusões e recomendações 
O relatório mostra que as pessoas com deficiência têm duas vezes mais probabilidade de receber cuidados de saúde inadequados para atender às suas necessidades, e quase três vezes mais probabilidade de relatar que teve negado os cuidados de saúde. Em países de baixa renda as pessoas com deficiência têm 50% mais probabilidade de ter as despesas de saúde a custos exorbitantes do que as pessoas não deficientes.

As crianças com deficiência têm menos probabilidade de ingressar na escola que as crianças não-deficientes e também têm menores taxas de permanência na escola. Segundo a Organização para a Cooperação Econômica e o Desenvolvimento (OCDE), a taxa de emprego das pessoas com deficiência (44%) é pouco maior do que a metade da taxa para as pessoas sem deficiência (75%).

O relatório recomenda que os governos e seus parceiros de desenvolvimento de proporcionar às pessoas com deficiência o acesso a todos os principais serviços, investir em programas e serviços específicos para pessoas com deficiência e adotar uma estratégia nacional para a questão da deficiência e plano de ação. Além disso, os governos devem trabalhar para aumentar a consciência pública e a compreensão sobre as pessoas com deficiência e fornecer todos os apoios às pesquisas e formação de profissionais na área.

Foi ressaltado como de suma importância, consultar e envolver as próprias pessoas com deficiência na concepção e implementação destes esforços.

O renomado físico Stephen Hawking disse: "Temos o dever moral de remover os obstáculos à participação de pessoas com deficiência, além de investir recursos e competências suficientes para desobstruir o seu vasto potencial ... Tenho esperança de que este século será marcado como um ponto de virada para a inclusão das pessoas com deficiência na vida de suas sociedades."
 Cerca de 150 países e organizações regionais tenham assinado a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, e 100 o ratificaram, comprometendo-se a remoção de barreiras para que as pessoas com deficiência possam participar plenamente em suas sociedades. O Relatório Mundial sobre a deficiência, desenvolvido com a contribuição de mais de 380 especialistas, será um recurso fundamental para países que apliquem a Convenção.

Acesse: http://www.who.int/disabilities/world_report/2011/report/en/index.html e conheça o relatório mundial. A versão integral está disponível em língua inglesa e as sínteses em outros idiomas e em versões acessíveis.


Fonte: Comunicado de imprensa OMS, 9 de junho de 2011

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Tudo sobre Escotismo: O que é o escotismo?: O que faz um Escoteiro?


Você que gosta de sentir a liberdade da natureza, andar em florestas, observar os animais, atravessar rios e cachoeiras; divertir-se nos jogos e brincadeiras ao ar livre com seus amigos, desafiando sua inteligência e habilidades; sentir o calor do sol e admirar um céu estrelado; montar sua barraca, preparar sua própria comida, construir coisas úteis para a sua vida no campo; ter amigos e ser um amigo verdadeiro, para juntos aproveitarem de forma útil e saudável a sua juventude, ... Encontrará no ESCOTISMO um programa que lhe abrirá as portas para estas aventuras e emoções.
Algumas atividades desenvolvidas pelos Escoteiros:
  • Reuniões de Sede, na sede os escoteiros aprendem jogos, habilidades e técnicas escoteiras, cerimônias, se preparam para as excursões, acampamentos e outras aventuras.
  • Excursões, onde os escoteiros podem visitar Museus, exposições, alguma outra cidade, um outro Grupo Escoteiro
  • Bivaques, que podem acontecer em uma cachoeira, em uma caverna ou em uma fazenda, onde entramos em contato com a Natureza e nos divertimos um pouco em atividades como mergulhos, explorações, rappel, escaladas e trilhas em uma mata
  • Acampamentos, onde botamos emprática tudo aquilo que aprendemos na nossa Sede, como armar uma barraca, cozinhar nossa própria comida, montar pioneirias, participar de jogos, de atividades noturnas, de um Fogo de Conselho e de muitas outras coisas.
  • Atividades Comunitárias, onde ajudamos aqueles que precisão, seja reformando uma escola, recuperando as cadeiras de rodas de um hospital público, fazendo campanhas para arrecadar donativos para famílias carentes, visitando um asilo para levar um pouco de alegria aos velhinhos, entre outros.
  • Jornadas, jornadas são atividades onde temos que ir de um ponto à outro, fazemos isso à pé ou de bicicleta, normalmente por caminhos pouco visitados, como uma trilha na mata ou cruzando fazendas, durante essas caminhadas desenvolvemos atividades de orientação, de observação, de construção de mapas e de conhecimento da Natureza.
  • Atividades Nacionais e Mundiais, como os Jamborees Mundiais, que ocorre a cada 4 anos, onde escoteiros do mundo inteiro se encontram, Jamborees Nacionais, Panamericanos; Mutirões Nacionais Escoteiros, onde são desenvolvidas atividades comunitárias; o JOTI e JOTA, os Jamborees na Internet e no Ar, que ocorre em um final de semana por ano onde escoteiros de todo o mundo se encontram através da Internet e do Radioamador.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Manter o Brasil na condição de país certificado internacionalmente para a erradicação da poliomielite, estabelecendo proteção coletiva e a disseminação do vírus vacinal no meio ambiente, é o principal objetivo da realização no dia 18, da 1ª Etapa da Campanha Nacional contra a Poliomielite, que vai imunizar crianças de 0 a menos de 5 anos.

Vacinar, em cada etapa da campanha, no mínimo 95% é a meta determinada pelo Ministério da Saúde. Para a Pólio 1.080.715 devem ser imunizadas. Contra o sarampo, o público alvo é de 1.324.102 crianças, e a meta também é vacinar 95% dessas crianças. Este é o 32º ano da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o 22º ano sem casos da doença no país.

Autor: Júnior Alves - Categoria(s): Sem categoria

Fonte: www.tabirahoje.blig.ig.com.br

terça-feira, 7 de junho de 2011

HORA CERTA DO BRASIL!

PROJETO DE DEPUTADA DETERMINA BANHEIROS QUÍMICOS PARA CADEIRANTES EM SHOWS.



Tramita nas Comissões Permanentes da Casa um projeto de lei de autoria da deputada Thaise Guedes (PSC) que irá beneficiar as pessoas com necessidades especiais, principalmente os cadeirantes. A matéria dispõe sobre a instalação de banheiros químicos adaptados durante a realização de shows e eventos que venham a ser realizados no Estado.

De acordo com a parlamentar, como os banheiros químicos colocados nesses eventos não são adaptados limita o acesso dos portadores de deficiência que necessitam utilizá-los. “Como o banheiro químico não é adaptado, não temos como entrar com a cadeira de rodas”, argumentou Thaise Guedes, acrescentando que a instalação de pelo menos dois banheiros já supriria a demanda.

A deputada informou que pesquisou e existem banheiros químicos adaptados e acredita que a matéria não encontrará óbices para ser aprovada em plenário e ser sancionada pelo governo do Estado,uma vez que trará benefícios para a população. “Esse projeto servirá para as pessoas terem consciência e espero que, sendo aprovado, nos próximos eventos já tenhamos esses banheiros adaptados”, finalizou.

ESCOLAS RECEBERÃO VERBAS PARA MELHORAR ACESSIBILIDADE.



Escrito por Anna Maria Salustiano   
Seg, 06 de Junho de 2011 15:11

Dados do Censo Escolar de 2010 revelam dados alarmantes no que diz respeito à acessibilidade. Apenas 20% das instituições públicas atendem a critérios de acessibilidade a estudantes com deficiência. 
Para que o corpo discente se locomova melhor e tenha os seus direitos constitucionalmente respeitados, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) irá repassar recursos de R$ 100 milhões a 3.433 municípios. 
Esse dinheiro será destinado à compra de cadeiras de rodas ou softwares específicos. Essa quantia beneficiará 12.165 mil escolas nos municípios, estados e Distrito Federal. As unidades de ensino que receberam salas de recursos multifuncionais em 2009 e registraram matrícula de estudantes com deficiência em 2010 poderão ter recursos. As instituições públicas terão as rampas construídas, alargamento de portas, adequação de corredores, sanitários, bibliotecas e quadras de esporte.
O Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) reduz a burocracia de transferência de recursos. Para conseguir a verba, as escolas devem elaborar planos de ações, a ser submetidos às secretarias de educação. É interessante observar os critérios e normas gerais de acessibilidade nas obras. O presidente do Sintepe, Heleno Araújo pontua "As escolas precisam estar preparadas para atender a todas as necessidades dos alunos. É um direito e deve ser respeitado". A previsão constitucional de adaptação de logradouros, edifícios de uso coletivo, veículos de transporte coletivo de forma a garantir o adequado acesso das pessoas com deficiência estão previstas nos artigos 227, § 2º e 244 Constituição.  
O Diário Oficial da União publicou no dia 3 de junho, seção 1 e página 51, o repasse do FNDE às unidades de ensino.  
Última atualização ( Seg, 06 de Junho de 2011 16:35 )

Fonte: 

segunda-feira, 6 de junho de 2011

METAS DO MILÊNIO

DIABETES: MÉDICO DO HOSPITAL BANDEIRANTES DIZ QUE INFORMAÇÃO É O CAMINHO PARA A QUALIDADE DE VIDA


Com a chegada na próxima sexta-feira, 14/11, do Dia Mundial e Nacional de Controle do Diabetes, muitos médicos alertam para a prevenção,diagnóstico precoce e cuidados com as complicações decorrentes do não tratamento. Estima-se que metade dos portadores do diabetes mellitus desconhecem a doença.

Mesmo se tratando de um mal que atinge 22 milhões de pessoas ou 12% da população brasileira, muitos ignoram seus sintomas. Batizada de Diabetes Mellitus, definida como um grupo de desordens metabólicas geradas pela possível interação de fatores genéticos, ambientais e
estilo de vida, culminando com um aumento das taxas de açúcar (glicemia) no sangue. "A prática de atividade física regular, a dieta adequada e o controle do peso auxiliam no bom controle da glicemia e no retardo do aparecimento de complicações.", afirma Dr. Walter Moras,
cardiologista do Hospital Bandeirantes.

O diagnóstico é feito com a dosagem da glicemia no sangue em jejum maior que 126mg/dl. Se a glicemia der entre 100 e 125mg/dl,considera-se um estado pré-diabético, o qual necessita de
acompanhamento adequado e controle dos fatores de risco. A glicemia considerada normal é aquela que se encontra abaixo que 100mg/dl.
O diabetes é uma doença sistêmica que leva a complicações nos sistemas cardiovascular, renal, oftalmológico e neurológico. É a principal causa de doença renal terminal, com necessidade de hemodiálise, amputações não-traumáticas de pernas e pés e perda da visão no adulto.
É também importante causa de infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral ("derrame").

Existem três tipos principais de diabetes. O tipo I responde por 9% dos casos e é caracterizado pela destruição das células produtoras de insulina conseqüente a uma reação auto-imune. Pode aparecer em qualquer momento da vida, mas é mais freqüente em pessoas com menos de
35 anos. Leva o doente a ser dependente de insulina, já que a sua aplicação é necessária diariamente.
Noventa por cento dos diabéticos são portadores do tipo II. São pacientes que geralmente não necessitam de insulina. Surge geralmente após os 45 anos e possui um fator hereditário maior que o do tipo I, além de existir uma grande relação com obesidade e sedentarismo.

Diabetes gestacional, o terceiro tipo da doença, é a alteração da taxa do açúcar no sangue durante a gestação, desaparecendo ou persistindo após o parto. Em muitos casos é encontrada em mulheres predispostas ao diabetes II.

Independente do tipo, o tratamento será baseado em medidas medicamentosas e mudanças no estilo de vida. "Ter uma vida saudável é um desafio para todos nós. Devemos nos atentar à necessidade de uma alimentação equilibrada, prática regular de atividade física e
manutenção do peso adequado, que são essenciais para a prevenção e cuidados coadjuvantes dos diabéticos", comenta o Dr. Walter Moras.
Para o tratamento medicamentoso, há insulinas injetáveis (tanto de efeito rápido quanto prolongado) e o tratamento oral. O diabetes ainda não tem cura e seu controle é indispensável para os pacientes viverem bem.
"Vale ressaltar que a glicose pode ser usada em algumas situações especiais, quando orientada pelo médico", alerta Dr. Walter.


Fonte: http://adddiadema.blogspot.com/