segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Projeto que prevê distribuição de almofadas e colchões pelo SUS é aprovado por Comissão


Qui, 20 de Outubro de 2011 13:51
De autoria da deputada Mara Gabrilli, PL teve votos contrários, mas foi aprovado nos termos do Parecer do Deputado Walter Tosta
O projeto de lei nº 823/2011, de autoria da deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), que prevê a distribuição, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), de almofadas e colchões utilizados para a prevenção de úlceras por pressão, foi aprovado pela Comissão de Seguridade Social e Família, em reunião ordinária realizada hoje (19/10). O PL foi aprovado nos termos do Parecer Vencedor do Deputado Walter Tosta, contra os votos dos Deputados João Ananias, Padre João, Benedita da Silva e Rogério Carvalho. O parecer do relator, Deputado Rogério Carvalho, passou a constituir voto em separado.
Após o parecer contrário do Relator da matéria, a deputada Mara Gabrilli se encaminhou para a sala da Comissão, instante em que foi apresentado o voto em separado do Deputado Walter Tosta, também cadeirante, expondo as razões de mérito do projeto. Em seguida Mara pediu a palavra, e pontuou com clareza as questões humanitárias e econômicas que, em sua própria experiência, explicam a necessidade de aprová-lo.
Segundo Mara, “as Úlceras por Pressão (UP) são um mau constante que acomete uma enorme população de usuários do Sistema Único de Saúde, dos mais variados perfis”. De maneira clara e simples pode-se explicar a ocorrência de uma UP como resultado da pressão contínua sobre a pele adjacente, principalmente, às saliências ósseas, causando ferida no tecido pressionado.
A ocorrência, prevenção e o tratamento de UP são realidade inafastável em dois grandes grupos de pacientes: os com trauma medular - paraplégicos, tetraplégicos e hemiplégicos – que, por sofrerem lesão das fibras nociceptivas aferentes, tornam-se insensíveis ao estímulo doloroso e, de outro lado, os idosos ou doentes crônicos. Segundo o PL, uma posterior regulamentação específica definirá os casos nos quais será devida a distribuição dos produtos.
De acordo com Mara, as almofadas específicas para a prevenção de UP são produtos já incorporados à realidade daqueles que possuem os meios para adquiri-las por si, mas ainda pesam como anseios distantes daqueles mais pobres, notadamente usuários do Sistema Único de Saúde. “O uso desses assessórios em cadeiras de rodas e em leitos pode contribuir simultaneamente para o aumento na qualidade de vida dos assistidos – poupados do desconforto e dos perigos das UP – bem como para a gestão dos recursos aplicados no sistema de saúde público”, afirma. A deputada também ressalta a combinação entre a prevenção e a economia: “Esses assessórios minimizam enormemente a possibilidade de desenvolvimento de UP, através da aplicação de tecnologia de alívio de pressão”, conclui.
Algumas estimativas indicam que o custo médio hospitalar para tratamento, tanto clínico quanto cirúrgico, de um paciente com incidência de UP, pode aproximar-se de $ 20.000 (vinte mil) dólares. Ainda que o valor varie em cada caso, em função das características da úlcera diagnosticada, nunca se trabalhará com custos moderados – é a consequência inevitável de se mobilizar uma equipe envolvida em um procedimento cirúrgico, por exemplo. Como externalidade provável há ainda os riscos de infecção e a própria reincidência.
Para o deputado Walter Tosta, a distribuição é uma medida indispensável para a coletividade de usuários do Sistema. “É uma questão de bem-estar e de otimização dos gastos públicos”, afirmou.
O Projeto de Lei ainda precisa passar pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Tabira sedia 47º encontro da merenda escolar

O município de Tabira sediou na última sexta-feira (21/10) o 47º encontro da merenda escolar, com representantes de municípios pernambucanos e da Paraiba. O ovento aconteceu no polo de educação a distância na Jureminha, e contou com a participação de representantes do "fome zero" a nível nacional, do vice prefeito Joel Mariano, do secretário de educação do município Gustavo Barros, secretários da administração municipal, representantes do CAE, líderes comunitários, etc.




  Fonte: Blog de Joel Mariano.

domingo, 23 de outubro de 2011

os 12 preceitos que levam à mudança de paradigmas no século XXI


 


COMO ENTENDER E RESPEITAR A PESSOA COM DEFICIÊNCIA

  1. Lembre-se de que as pessoas com deficiência são indivíduos próprios. Elas não pertencem a você, à família, aos médicos ou à sociedade.
  2. Cada pessoa com deficiência é diferente das outras e que, independente do rótulo que lhe seja imposto para a conveniência de outras pessoas, ela ainda assim é uma pessoa “única”. Não existem duas crianças com síndrome de Down que sejam iguais, ou dois adultos com deficiência auditiva que respondam ou reajam da mesma forma.
  3. Elas são pessoas antes de tudo e têm o mesmo direito à auto-realização que quaisquer outras pessoas, no seu ritmo próprio, à sua maneira e por seus próprios meios. Somente elas podem superar suas dificuldades e encontrar a si mesmas.
  4. As pessoas com deficiência têm a mesma necessidade que você de amar e ser amado, de aprender, partilhar, crescer e experimentar, no mesmo mundo em que você vive. Elas não têm um mundo separado. Existe apenas um mundo.
  5. As pessoas com deficiência têm o mesmo direito que você de fraquejar, falhar, sofrer, desacreditar, chorar, proferir impropérios, se desesperar. Protegê-las dessas experiências é evitar que vivam.
  6. Somente as pessoas com deficiência podem lhe dizer o que é possível para elas. Nós, que as amamos, devemos ser observadores atentos e sintonizados.
  7. As pessoas com deficiência devem agir por conta própria. Podemos oferecer-lhes alternativas, possibilidades e instrumentos necessários – mas somente elas podem colocá-los em ação. Nós podemos apenas permanecer firmes, e estar presentes para reforçar, encorajar, ter esperanças e ajudar quando possível.
  8. As pessoas com deficiência, assim como nós, estão preparadas para viver como desejarem. Elas também devem decidir se desejam viver em paz, com amor e alegria, como são e com o que têm, ou deixar-se ficar numa apatia lacrimosa, esperando a morte.
  9. As pessoas com deficiência, independente do grau, têm um potencial ilimitado para se tornar não o que nós queremos que sejam, mas o que elas desejam ser.
  10. As pessoas com deficiência devem encontrar sua própria maneira de fazer as coisas – impor-lhes nossos padrões (ou os da cultura) é irreal e até mesmo destrutivo. Existem muitas maneiras de se amarrar os sapatos, beber em um copo, chegar até o ponto do ônibus. Há muitas formas de se aprender e se adaptar. Elas devem encontrar a forma que melhor se lhes ajuste.
  11. As pessoas com deficiência também precisam do mundo e das outras pessoas para que possam aprender. O aprendizado não acontece apenas no ambiente protetor do lar ou em uma sala de aula, como muitas pessoas acreditam. O mundo é uma escola, e todas as pessoas são professores. Não existem experiências insignificantes. Nosso trabalho é agir como seres humanos afetuosos, com curativos emocionais sempre prontos para uma possível queda, mas com novos mapas à mão para novas aventuras!
  12. Lembre-se de que todas as pessoas com deficiência têm direito à honestidade em relação a si mesmas, a você e a sua condição. Ser desonesto com elas é o pior serviço que alguém pode lhes prestar. A honestidade constitui a única base sólida sobre a qual qualquer tipo de crescimento pode ocorrer. E, acima de tudo, lembre-se de que elas necessitam do que há de melhor em você. A fim de que possam ser elas mesmas e que possam crescer, libertar-se, aprender, modificar-se, desenvolver-se e experimentar, você deve ter essas capacidades. Você só pode ensinar aquilo que sabe. Se você é aberto ao crescimento, ao aprendizado, às mudanças, ao desenvolvimento e às novas experiências, permitirá que elas também o sejam.

Declaração de Manágua
“Queremos uma sociedade baseada na igualdade, na justiça, na equiparação e na interdependência, que assegure uma melhor qualidade de vida para todos, sem discriminação de nenhum tipo, que reconheça e aceite a diversidade como fundamento para a convivência social. Uma sociedade onde o primeiro direito seja a condição de pessoa, de todos os seus integrantes, que garanta sua dignidade, seus direitos humanos, sua autodeterminação, sua contribuição à vida comunitária e seu pleno acesso aos bens sociais.


Veja a Declaração de Managuá na íntegra com a tradução de Romeu Sassaki.

POETA DUDU MORAIS LANÇARÁ SEU PRIMEIRO LIVRO COM O INTITULADO “NAS RÉDIAS DA POESIA”


O jovem poeta Dudu Morais, lançará neste dia 23 de outubro de 2011, no Skina Club, a partir das 20 hrs, o tão esperado lançamento do livro do poeta Dudu Morais. O "Nas Rédias da Poesia" será a primeira obra desde grande poeta que vem surpreendendo todos com a facilidade com que faz poesia (e que poesia viu!).
Está na programação o cantor Fábio Luiz, o trio As Severinas, o grupo Pé de Parede (do qual Dudu faz parte), os poetas da APPTA e da AJUPTA e convidados.

Uma amostra dos versos do poeta:
No momento em que tudo silencia
Minha alma também fica calada
E assim, quase toda madrugada
a razão do meu ser se distancia

Muitas vezes fazendo poesia
Nossa história de amor é externada
E entre amante, mulher e namorada
Classifico você como o meu dia

O meu dia por que trás essa luz
Que ilumina minha vida e que seduz
Com a força que tem quando irradia

E uma noite de amor me faz depois
Delirar com os gemidos de nós dois
NO MOMENTO EM QUE TUDO SILENCIA.

 
(Dudu Morais)
AS INFORMAÇÕES SÃO DE VAGNER LEANDRO, CORRESPONDENTE OFICIAL DO BLOG CAUÊ RODRIGUES EM TABI

NOVO MODELO DE CARRO PARA DEFICIENTES FÍSICOS.

Pratyko


Acabei de assistir no jornal do SBT sobre a criação de um carro que busca facilitar a vida dos cadeirantes. O melhor de tudo é que não é necessário sair da cadeira para utilizar o carro. A porta traseira dá acesso ao interior do carro através de uma rampa que permite ao motorista entrar com a sua cadeira. 
Ele é muito prático e permite ao deficiente completa autonomia, sem precisar depender de outras pessoas ou de grande esforço para se "transportar" para dentro do carro.
O PRATYKO foi criado (ele não foi adaptado), por um cadeirante e seu amigo e através de um controle remoto, um elevador elétrico permite ao cadeirante entrar em seu carro sem grande esforço.
Seria muito bom que algum empresário se interessasse pela fabricação desse tipo de carro, pois ele veio para facilitar e muito a vida daqueles que usam cadeiras de rodas e que querem e precisam de autonomia e mais praticidade.

Parabéns pela criação!!!





História do Teleton

Sobre o Teleton
   O projeto Teleton nasceu nos Estados Unidos em 1966 com o incentivo do ator e comediante Jerry Lewis. Ele pretendia que uma campanha realizada na TV pudesse arrecadar recursos para o tratamento de portadores de deficiência física. O formato da atração conquistou tanto sucesso que já faz parte da programação televisiva de mais de 20 países.
   No Brasil, o primeiro Teleton ocorreu em 16 de maio de 1998 no SBT com o objetivo de levantar recursos para o tratamento e reabilitação de pacientes atendidos nas unidades da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente). Em sua primeira edição, o projeto arrecadou R$ 14.855.000, que foi utilizado para a construção de uma nova unidade da AACD em Recife (PE) e na reforma da unidade da Móoca, em São Paulo.
   Em 2010, o evento arrecadou R$ 23,9 milhões, valor destinado à construção de uma nova unidade da instituição, em Mogi das Cruzes/SP, que deve começar ser concluída no final de 2011.
   Todos os anos, durante a exibição do Teleton, o SBT tem uma programação especial totalmente voltada ao projeto. Em suas 26 horas, reportagens especiais sobre o trabalho feito pela a AACD, prestações de contas, artistas renomados e atrações musicais são apresentadas ao público diretamente dos estúdios do SBT no Complexo Anhanguera, ao vivo para todo o Brasil.
   Nesta 14ª edição, que acontece nos dias 21 e 22 de outubro de 2011, a meta ficou ainda maior: R$24 milhões, suficientes para a instituição manter os atendimentos que já realiza e atender mais de 32 mil pacientes que estão na fila de espera.

Linha do Tempo
2010
Meta: Construção da AACD Mogi das Cruzes/SP
Arrecadação: R$23.900.000
2008
Meta: Diminuir a fila de espera de 32 mil pessoas.
Arrecadação: R$ 18.955.948
2006
Meta: Manutenção das unidades existentes
Arrecadação: R$ 16.162.588
2004
Meta: Manutenção das unidades existentes e ampliação do Hospital Abreu Sodré (construção de 18 apartamentos em 5 pavimentos)
Arrecadação: R$ 16.616.032
2002
Meta: Construção da AACD Osasco (SP)
Arrecadação: R$ 16.015.454
2000
Meta: Construção da AACD Uberlândia (MG)
Arrecadação: R$ 10.226.000
1998
Meta: Construção da AACD Recife (PE) e reforma da unidade Mooca (SP)
Arrecadação: R$ 14.855.000
2009
Meta: Construção da AACD Poços de Caldas (MG) e mais 2 unidades em São Paulo (SP). (em andamento)
Arrecadação: R$ 19.343.325
2007
Meta: Construção da AACD São José do Rio Preto (SP)
Arrecadação: R$ 17.111.159
2005
Meta: Construção da AACD Joinville (SC)
Arrecadação: R$ 16.150.890
2003
Meta: Construção da AACD Nova Iguaçu (RJ)
Arrecadação: R$ 15.000.000
2001
Meta: Manutenção das unidades existentes
Arrecadação: R$ 11.847.000
1999
Meta: Construção da AACD Porto Alegre (RS)
Arrecadação: R$ 10.147.000

Sobre a AACD

  A AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) é uma instituição sem fins lucrativos cuja missão é “Promover a prevenção, habilitação e reabilitação de pessoas com deficiência física, especialmente de crianças, adolescentes e jovens, favorecendo a integração social”.
   Em 1950, o Dr. Renato da Costa Bomfim, ao lado de um grupo de idealistas, fundou a AACD com o objetivo de disponibilizar no Brasil um centro de reabilitação com a mesma qualidade dos estrangeiros.
   Antes de ser um grande complexo, a AACD já chegou a funcionar em dois pequenos sobrados na Rua Barão de Piracicaba, em São Paulo. Em 1963, o primeiro centro foi inaugurado num terreno doado pela prefeitura e localizado na Rua Ascendino Reis, que funciona até os dias de hoje, no bairro do Ibirapuera.
   Em 2010, a AACD realizou 1.348.799 atendimentos nas 10 unidades distribuídas em seis diferentes Estados: AACD Ibirapuera (SP), AACD Mooca (SP), AACD Osasco (SP), AACD São José do Rio Preto (SP), AACD Recife (PE), AACD Uberlândia (MG), AACD Porto Alegre (RS), AACD Nova Iguaçu (RJ), AACD Joinville (SC) e na AACD em Poços de Caldas (MG).

Curiosidades
Dados de janeiro à agosto de 2011:
13 unidades: Ibirapuera, Mooca, Santana, Campo Grande (recém inaugurada), Osasco e São José do Rio Preto (SP), Recife (PE), Uberlândia (MG), Nova Iguaçu (RJ), Poços de Caldas (recém inaugurada) (MG), Joenville (SC) e Porto Alegre (RS) ;
Unidade em construção: Mogi das Cruzes (SP), (inauguração previsata para outubro/2011 – sujeito a confirmação);
6 fábricas ortopédicas: Ibirapuera (maior da América Latina) e Osasco (SP), Recife (PE), Uberlândia (MG), Nova Iguaçu (RJ) e Porto Alegre (RS);
Aparelhos produzidos nas oficinas Ortopédicas: 60.655 **
Cirurgias realizadas: 6.415 **
Funcionários: 2.037 **
Voluntários: 2.015 **
Pacientes atendidos por dia: 5 mil **
Pacientes em fila de espera: 59.716 **
Total de atendimentos no ano: 1.348.799 **

** dados de 2010
Fonte: Portal  SBT

terça-feira, 18 de outubro de 2011

CONCURSO BARRA VETERINÁRIO APROVADO EM 1º LUGAR POR SER DEFICIENTE FÍSICO

João Paulo Buosi


Quem costuma prestar concursos públicos sabe o que é a maratona desde a inscrição até a divulgação da lista com os aprovados. Paraplégico, o veterinário João Paulo Buosi, de 29 anos, conhecia bem essa rotina em 2009, quando resolveu fazer a prova para trabalhar no do CRMV-SP (Conselho Regional de Medicina Veterinária).

Ele, que vinha de um emprego no Paraná obtido por meio de concurso, preparou-se e prestou o exame para o CRMV-SP em junho do mesmo ano. Passou em primeiro lugar na lista de pessoas com deficiência. Entretanto, o que deveria ser motivo de orgulho virou um pesadelo que ele vive até hoje, passados dois anos.

Buosi nunca foi convocado para a vaga - ele foi barrado no concurso por ser deficiente. O veterinário ainda espera uma solução para seu caso, que se transformou em uma verdadeira batalha com perícias médicas e perguntas sem resposta.

POR: g1
 
Fonte: tabiradetodos.blogspot.com

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

CAMPANHA "TESTE DA ORELHINHA"

PEC inclui acessibilidade entre os direitos sociais dos brasileiros.

Rosinha da Adefal: acessibilidade precisa ser contemplada em políticas públicas.
Rosinha da Adefal: acessibilidade precisa ser contemplada em políticas públicas.
Tramita na Câmara a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 53/11, da deputada Rosinha da Adefal (PTdoB-AL), que inclui a acessibilidade entre os direitos sociais dos brasileiros inscritos na Constituição, ao lado de educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, lazer, segurança, previdência social, proteção à maternidade e à infância, e assistência aos desamparados.
De acordo com a deputada, a acessibilidade pode ser definida como o direito do cidadão de ir e vir com segurança e autonomia, no uso dos espaços e serviços que a cidade oferece. Ela lembra que o Brasil é signatário da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, da Organização das Nações Unidas (ONU), que reconhece a acessibilidade como um dos direitos fundamentais das pessoas com algum grau de deficiência.
Segundo Rosinha da Adefal, para que o tema seja efetivamente inserido na formulação das políticas públicas, é preciso que a acessibilidade torne-se um direito constitucional. “As políticas públicas, ao serem formuladas, deixam de prever, considerar e financiar as necessárias soluções em acessibilidade, o que causa prejuízo irreparável às pessoas com deficiência, que acabam por experimentar desvantagem quando do acesso e utilização dos serviços, supostamente postos a todos os brasileiros”, diz a deputada.
Tramitação
A CCJ vai analisar a admissibilidade da PEC. Se aprovada, será criada uma comissão especial para analisar o mérito da proposta. Em seguida, a matéria será votada em dois turnos pelo Plenário.
Fonte: http://www2.camara.gov.br/ (04/10/11)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

RELATÓRIO DA IV CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TABIR - PE – ANO - 2011.

1. PARTICIPANTES:
Tivemos assinadas em Ata a participação de 83 pessoas, podendo haver um pouco mais devido os retardatários que chegam após o horário de inscrição. Houve a participação de vários segmentos como: Governo Municipal e todos os Trabalhadores da Assistência Social e programas Sociais, Entidades e organizações de Assistência Social, Gestores Municipais, Professores, Universitários, Estudantes do Projovem, Agentes Comunitários de Saúde, Convidados, Representantes de Associações, Conselheiros, e uma participação ainda pequena de usuários.
2. PROGRAMAÇÃO:
A estrutura proposta teve mesa de debate e grupos de trabalho, a fim de debater o tema proposto e deliberar metas para a Política de Assistência Social no Município.
3. DELEGADOS ESCOLHIDOS PARA PARTICIPAREM DA CONFERÊNCIA ESTADUAL:
REP. O GOVERNO REP. SOCIEDADE CIVIL REP. USUÁRIOS
TITULAR: Daniella Roma da Silva.
TITULAR: José Geneci Cristovão. TITULAR: Altair Correia Alves Patriota.

SUPLENTE: Olinda Siqueira Ferreira. SUPLENTE: Ivete da Silva Souza.
SUPLENTE: Marcelo Nogueira Ramos.


4. PROPOSTAS DOS SUBTEMAS DISCUTIDOS:
01- Realização de concursos públicos para efetivação do trabalhadores do SUAS à nível: Municipal, Estadual e Federal;
02- Capacitações continuada para trabalhadores, conselheiros e usuários da Assistência Social;
03- Incentivo financeiro para que os municípios implantem uma sede própria para administração de todos os conselhos municipais;
04- Efetivação do repasse de fundos para a manutenção de todos os conselhos municipais;
05- Fiscalização a respeito do gerenciamento do fundo Municipal de Assistência Social, a ser administrado pela Secretária e não pelo prefeito do município.

01- Capacitações permanentes no próprio município para uma melhor comodidade e para uma maior participação da comunidade;
02- Funcionamento de qualidade e com segurança dos órgãos administrados pelo SUAS;
03- Que os concursos públicos sejam uma obrigatoriedade para os profissionais que assumam cargos nas Secretarias de Assistência Social, Projetos e programas co-financiados pelo MDS.
04- Efetivação das equipes Multiprofissionais, com salários dignos, conforme sua qualificação;
05- Ambientes adequados para realização dos trabalhos, que dê condições de desenvolver um melhor atendimento para a equipe profissional e ao usuário.
01- Divulgação e capacitação nacional para profissionais no sentido de conscientizar usuários da Assistência Social, sobre seus direitos, deveres e prioridades na oferta de cursos profissionalizantes para sua sustentabilidade.
02- Intersetoriedade constante entre a Saúde, Assistência Social, Educação, Conselhos e Poder Judiciário, para efetivação da rede socioassistencial;
03- Incentivo financeiro e de consultoria para a criação de Associações e cooperativas de Reciclagem, agricultura familiar e criação de ovinos e caprinos para jovens em situação de vulnerabilidade social, das zonas urbanas e rurais de todo o País, para acabar com o êxodo rural, e consequêntemente garantir seu sustento e de sua família;
04- Obrigar os municípios através de uma Lei, a incluir no orçamento municipal do PPA, uma subvenção de acordo com o repasse Federal, um valor estabelecido para ser investido nos Conselhos para aquisição de transportes para ser utilizado pelos Conselhos: da Criança e do Adolescente, tutelar, do Idoso, dos deficientes e para pagamento de um incentivo financeiro a todos os conselheiros;
05- Maior fiscalização das instancias de controle social nos municípios para que só as pessoas realmente carentes sejam beneficiadas pelo Programa Bolsa Família.
01- Incentivo financeiro por parte do Governo Federal e Municipal a Implantação do cooperativismo e associativismo para eficácia da agricultura familiar e criação de micro-indústrias;
02- Criar e apoiar financeiramente projetos e cursos Profissionalizantes eficazes, para incluir as famílias em situação de vulnerabilidade social no combate à pobreza no Brasil.
03- Divulgação pelos meios de comunicações (televisão e rádio) do que é o Sistema SUAS, para a conscientização e participação ativa da população brasileira;
04- Desenvolvimento de Projetos em parceria com as Secretarias de Educação, Saúde, e Assistência Social e também a iniciativa privada no sentido de diminuir ou erradicar a pobreza do País.
REALIZAÇÃO: CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL