quarta-feira, 21 de março de 2012

Caminhada marca no AM o Dia Internacional da Síndrome de Down.


21/03/2012 11h33 - Atualizado em 21/03/2012 11h40

A ação é voltada para conscientizar e informar pais e sociedade.

Ana Graziela MaiaDo G1 AM
Comente agora
Encontro em Araraquara celebra Dia Internacional da Síndrome de Down (Foto: Felipe Turioni/G1)Encontro pelo país celebram o Internacional da Síndrome de Down (Foto: Felipe Turioni/G1)






Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) realiza programação voltada ao Dia Internacional da Síndrome de Down, celebrado no dia 21 de março, com caminhadas e palestras para conscientizar pais e sociedade de como lidar com a síndrome.
Segundo a Gerente de Saúde da APAE-Manaus, Jane Farias, a programação começou na terça com uma caminhada pelas principais ruas do bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro Sul, com a participação de pais e moradores.

Nesta quarta, a instituição vai comemorar data na sede da Apae, com ciclo de palestas com o tema: "Aconselhamento Genético em Síndrome de Down, conhecendo e desmistificando a Síndrome", com a presença de médicos e profissionais que atuam na Instituição. O principal objetivo, segundo Jane, é mostrar que o jovem portador da síndrome tem as mesma possibilidades de trabalhar e estudar. "O portador tem as mesmas capacidades que uma pessoa sem a síndrome. Ele pode trabalhar e viver normalmente. É claro o processo é mais lento, mas nada impede ele de tocar a vida", disse.
A data que é celebrada no mundo todo, e a partir de 2012, a Organização das Nações Unidas (ONU), incluiu o Brasil na programação Mundial, como país que comemora o Dia Internacional da Síndrome de Down. No Brasil desde 2006, quando foi lançado pela Down Syndrome International, a data ainda não tinha sido oficializada. O dia foi escolhido por representar os 3 cromossomos número 21 que cada pessoa com síndrome de Down carrega em seus genes.

Ainda segundo ela, ação dá possibilidades para que os próprios portadores da síndrome atuem em causa própria, pois ainda existem preconceitos. A caminhada e as palestras vão esclarecer a sociedade sobre como lidar e conhecer sobre a síndrome. O evento e gratuito.
Fonte: G1.com

Nenhum comentário: