segunda-feira, 31 de julho de 2017

VEREADOR DICINHA DO CALÇAMENTO PARTICIPAR DO ANIVERSÁRIO DA FEIRA DO BAIRRO DE FÁTIMA EM TABIRA

Neste Domingo o Vereador  Dicinha do Calçamento participou do Aniversário da feira do bairro de Fátima em tabira Dicinha do Calçamento, como sempre atuante, tem como meta do seu mandato parlamentar visitar os amigos  Em nome do Vereador Dicinha do Calçamento ele deixar uma  abraço á todos os moradores do bairro de Fátima e agradece o seu Amigo Vereador Aldo Santana pela sua grande iniciativa desta feira.

sábado, 22 de julho de 2017

PERNAMBUCO É O ESTADO COM A MAIOR CONCENTRAÇÃO DE EVANGÉLICOS DO NORDESTE

Em 10 anos, percentual de evangélicos em Pernambuco passou de 13,5% para 20,3%. São 1.788.973 contra 5.834.601 católicos
 / Foto: Clemilsom Campos/JC Imagem

Foto: Clemilsom Campos/JC Imagem

Jorge Cavalcanti
Pernambuco é o Estado com a maior concentração de evangélicos do Nordeste, tanto em números absolutos quanto em termos proporcionais. Um em cada cinco pernambucanos se declara protestante, de acordo com o censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Embora tenha sido realizado em 2010, o levantamento foi divulgado em detalhes ontem. Atualmente, são exatos 1.788.973 seguidores de uma igreja de denominação evangélica. O quantitativo supera em mais de 250 mil pessoas a população de todo o Recife. No Brasil, são 42,3 milhões de protestantes, o equivalente a 22% da população.
O censo revela ainda outro fenômeno em Pernambuco e no País. Enquanto os evangélicos formam uma curva crescente no gráfico, os católicos estão em queda, apesar de ainda formarem o maior rebanho. O Brasil é considerado o maior país do mundo em número de católicos nominais. Ao levantamento do IBGE, 5.834.601 pernambucanos afirmaram seguir o catolicismo, o que representa 66% da população local.
Em terceiro lugar, os espíritas somam 123.798. Praticantes da umbanda e candomblé são menos numerosos. Apenas 10.830. Os que disseram ao IBGE que seguiam outra opção de religião chegam a 146.691.
Num comparativo com o censo de 2000, o crescimento do número de evangélicos e a redução do de católicos no Estado ficam mais evidentes. Há 12 anos, os 1.072.503 protestantes formavam 13,5% da população. Hoje, são 20,3%. Três décadas atrás, este contingente não chegava a 7% de Pernambuco. Já os católicos eram 74%, mas caíram oito pontos percentuais.
A força evangélica em Pernambuco ultrapassa a questão numérica e abarca também a política. Nas eleições proporcionais (Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados), pastores ou candidatos apoiados abertamente por igrejas sempre figuram entre os mais votados. Não raro, no primeiro lugar.
No Nordeste, o Ceará é o segundo Estado com mais evangélicos. São 1.236.435 seguidores, o que representa 14,6% da população local. O Maranhão vem logo depois, com 1.130.399 protestantes. Mas, proporcionalmente, o quantitativo representa 17% dos maranhenses, mais do que no Ceará.
REPERCUSSÃO - Vigário-geral da Arquidiocese de Olinda e Recife, monsenhor Lino Rodrigues minimizou a redução do número de católicos. "Geralmente, os que se vão não são os mais comprometidos. Do ponto de vista da fé, nunca foram. Por isso não deixaram de ser. A igreja prefere trabalhar a qualidade da consciência dos que a seguem", pontuou.
Para o religioso, os dados divulgados ontem já eram esperados. Ele ponderou que, por tradição e cultura no Brasil, muitas crianças são batizadas no catolicismo por influência dos pais. Depois, pode ocorrer a mudança de religião.
Entre as denominações evangélicas, a Assembleia de Deus é a maior do Estado. Figura máxima da igreja em Pernambuco, o pastor Ailton José Alves, em entrevista por e-mail, creditou o crescimento da quantidade de evangélicos à ""eficácia da própria palavra de Deus, que produz mudança para melhor na vida das pessoas". "Pregamos uma mensagem centrada na pessoa de Jesus, na prática diária dos ensinamentos bíblicos, da oração e do amor ao próximo", disse, sem citar métodos aplicados pelas igrejas evangélicas, como a forte presença nas emissoras de rádio e televisão.
A Avenida Cruz Cabugá, na área central do Recife, simboliza a força dos protestantes. Um trecho da via um pouco menor do que um quilômetro de extensão abriga oito templos, de tamanhos variados. Nos horários de culto à noite, é comum congestionamento nas imediações, por causa do fluxo de pessoas.
Obs: Pesquisa divulgada no ano 2012.

SERRA REALIZA X CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

Pasta é gerida por Josenildo Barbosa
Acontece nesta sexta-feira (21), em Serra Talhada, a X Conferência Municipal de Assistência Social promovida pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania, juntamente com o Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS).
Com o tema “Garantia de direitos no fortalecimento do SUAS”, a conferência será realizada no Salão Paroquial Padre Jesus Garcia Riaño, a partir das 08h da manhã.

A etapa é preparatória para a Conferência Estadual, que acontece nos dias 17 e 18 de outubro, no Centro de Convenções, em Olinda, e para a 11ª Conferência Nacional, que acontece em Brasília, no período de 05 a 08 de dezembro de 2017, promovida pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS).

terça-feira, 11 de julho de 2017

COMO FUNCIONA UM CONSÓRCIO?

Consórcios são grupos de pessoas ou empresas que possuem interesse comum na aquisição de um bem específico. Existe uma contribuição mensal definida em contrato e, mensalmente, 1 pessoa pode ser contemplada com o bem em questão, tanto por lance ou por sorteio. Os consórcios possuem ainda uma taxa de administração que costuma ser baixa se comparada a outras modalidades de investimentos, mas isso não garante que o consórcio seja a melhor forma de investir seu dinheiro.
Os consórcios são uma invenção brasileira que já foi levada a outros países, e hoje em dia vão além da aquisição de automóveis. Existem consórcios imobiliários e até de cirurgia plástica.
Em geral, consórcios são uma opção interessante para pessoas que não precisam do bem imediatamente, devido ao risco que existe de receber o prêmio a qualquer momento, desde a primeira parcela ou até o final do plano. E a conveniência do consórcio varia conforme a sorte do participante. Vamos analisar casos extremos para entender os riscos e vantagens do consórcio, comparando com a poupança programada e com o financiamento, outras opções bastante populares.
Na poupança programada, aplica-se um valor mensalmente até que o saldo acumulado atinja o valor do bem desejado. Neste caso, juros compostos jogam a seu favor, mas o bem só fica disponível ao final do período. Por outro lado, o valor total pago é menor que o valor do bem à vista, pois o saldo final da aplicação é composto pelos pagamentos mas também pelos rendimentos da aplicação.
O financiamento é quase a situação contrária. Recebe-se o dinheiro imediatamente, o bem é adquirido imediatamente, e os pagamentos mensais são usados para quitar a dívida. Neste caso, os juros compostos jogam contra você e o valor total pago é consideravelmente maior que o valor do bem à vista.
No consórcio, se o participante for sorteado ou ganhar um lance logo no início, tem-se algo parecido com um financiamento a juros baixíssimos, pois o bem fica rapidamente disponível e o pagamento é feito depois.
Por outro lado, se o participante for dos últimos a serem contemplados, a situação se assemelha muito à poupança programada a juros zero, ou seja, péssimo investimento, pior que guardar dinheiro embaixo do colchão, pois ainda existem as taxas de administração.
Em resumo, o consórcio é um investimento de risco alto, mas com ganhos ou perdas limitados pelas situações descritas acima. A maior vantagem do consórcio é a pouca burocracia, interessante para quem tem dificuldade de obter um financiamento, e quer ter a chance (risco) de ter o bem mais rápido do que se guardasse o dinheiro por conta própria.
A contrapartida da pouca burocracia é o risco de inadimplência dos participantes, que pode levar a dores de cabeça e aumento inesperado das prestações. Outra desvantagem ocorre em caso de desistência. Na maior parte das vezes, a recuperação do dinheiro investido acontece apenas no final do plano, e apenas com a correção aplicada às mensalidades.